AMARANTE: 4.º Festival MIMO oferece muita música e 50 atividades artísticas

A 4.ª edição do festival luso-brasileiro Mimo em Amarante mantém o figurino gratuito das mais de 50 atividades do programa, com música para vários gostos, cinema, poesia, fóruns de ideias e exposições, foi hoje revelado.

A organização promete, como nas edições anteriores, três dias, entre 26 e 28 de julho, de atividades artísticas espalhadas pelo centro de Amarante, onde são esperadas mais de 70 mil pessoas.

Lu Araújo, principal responsável do festival, prometeu hoje que o Mimo Amarante 2019 vai ter muita “arte com amor” e, de alguma forma, acrescentou, será “um festival negro, com a música africana muito presente”.

A participação feminina foi outro aspeto destacado na apresentação, que decorreu no salão nobre dos Paços do Concelho, onde o presidente da autarquia, José Luís Gaspar, reafirmou a aposta de Amarante no evento, com Lu Araújo a considerar aquela cidade como “o casamento perfeito para o Mimo em Portugal”.

Apresentação Mimo Amarante 2019 2

Como nos anos anteriores, os vários momentos do programa vão ser distribuídos pelo palco principal, no parque Ribeirinho, junto ao rio Tâmega, mas também pelo Museu Amadeo de Souza-Cardoso, duas igrejas do centro histórico (São Gonçalo e São Pedro), Centro Cultural de Amarante e Cinema Teixeira de Pascoaes.

O concerto da Orquestra do Norte, destacado hoje pela organização do festival, está agendado para o último dia, às 16:00, na Igreja de São Gonçalo.

Pelo palco principal passarão, nas três noites do festival, os nomes mais sonantes do panorama musical selecionados para o Mimo Amarante 2019, oriundos de Brasil, Mali, Palestina, Itália, Nigéria, Mongólia e Cabo Verde, para além de Portugal.

Na primeira noite (sexta-feira) atuarão Frankie Chavez e Peixe no projeto Miramar, Bixiga 70, 47Soul, Salif Keita e DJ Montano.

No sábado, o programa inclui Stefano Bollani & Hamilton de Holanda, Samuel Úria, Seun Kuti & Egypt 80, Criolo e DJ Ride.

No domingo, atuará no palco principal Stereossauro, que convida Camané e Capicua. Rubel e Mayra Andrade também atuarão a fechar o programa.

Nos três dias, haverá vários fóruns de ideias e um programa educativo com a participação de alguns dos artistas que atuam no Mimo, também com entradas gratuitas, mas limitadas à lotação das salas e sujeitas a inscrição.

O festival estreia também a exposição “Abstração. Arte Partilhada Coleção Millennium BCP”, no Museu Amadeo de Souza-Cardoso, com 30 obras, de 18 autores nacionais e estrangeiros, que se vai prolongar até 27 outubro.

O Mimo vai atribuir este ano, pela primeira vez em Portugal, um prémio destinado aos jovens talentos, entre os 18 e aos 40 anos. O vencedor, que será anunciado no evento, vai atuar em Amarante e, posteriormente, numa das edições do Mimo, no Brasil, anunciou a organização.

O “Prémio Mimo de Música” tem como objetivo “valorizar artistas de todas as regiões do país, com idades compreendidas entre os 18 e os 40 anos”. Os interessados podem inscrever-se na página da Internet do Mimo, até 07 de julho.

Posteriormente, vai decorrer um período de votação ‘online’, de 11 a 20 de julho. A 21 de julho, será anunciado o vencedor, que ganha um lugar no palco principal do Mimo, em Amarante, no Parque Ribeirinho.

A “Chuva de Poesia”, foi hoje prometido, vai este ano “homenagear o amor nas suas diversas formas”, com poemas de Chico Buarque, Jorge de Sena, Mário Sá-Carneiro, José Saramago, Sophia de Mello Breyner Andresen, Pablo Neruda, Florbela Espanca, Vinícius de Moraes, Gregório de Matos, Bocage, Fernando Pessoa, entre outros. O momento vai ocorrer no Largo de São Gonçalo, às 17:00 de domingo.

Haverá ainda um roteiro cultural, todas as manhãs, de 26 a 28 de julho, que permitirá visitar o património religioso de Amarante.

APM // TDI

Lus/fim