Articulação com agentes da proteção civil tem possibilitado intervenção de sucesso – Francisco Cunha

O vereador com o pelouro da Proteção Civil da Câmara de Felgueiras, Francisco Cunha, revelou ao Expresso de Felgueiras que a articulação entre os agentes de proteção civil do concelho tem possibilitado uma intervenção de sucesso.

“O trabalho que tenho desenvolvido no pelouro da proteção civil tem sido conseguido. É evidente que tenho contado com o apoio dos Bombeiros da Lixa e de Felgueiras e, desde há algum tempo para cá, com o apoio dos sapadores florestais”, disse, reconhecendo:

“Sem a sua ajuda seria mais difícil desenvolver esse trabalho”.

Francisco Cunha é vereador da Câmara de Felgueiras desde 2013 e assume funções a meio tempo. O autarca acumula os pelouros da saúde, salubridade pública, proteção civil e polícia municipal, proteção de menores, energia, transportes e comunicações, gestão da ocupação de espaços públicos e mercados e feiras.

Ao Expresso de Felgueiras, revelou que o pelouro da proteção civil não é trabalhoso, mas exige uma atenção constante.

“Estamos constantemente em articulação com os agentes da proteção civil e recebemos todos os sinais de alerta que são transmitidos pelos serviços oficiais. As chuvas e as cheias são sempre situações que requerem uma constante atenção, assim como os incêndios florestais de grandes dimensões”, adiantou.

No inverno de 2015, o concelho de Felgueiras foi atingido por fortes chuvas que provocaram várias situações de cheia.

Francisco Cunha recorda o apoio dos bombeiros do concelho para resolver as situações com brevidade.

“As duas corporações de bombeiros são um pilar imprescindível na proteção civil no concelho e estão bem preparadas”, disse.

E acrescentou: “Têm sido de uma generosidade e uma entrega que é de realçar. O município tem reconhecido isso na atribuição de subsídios, mas dizê-lo nunca é demais”.

No que diz respeito à época de incêndios, que se encontra a decorrer até 15 de outubro, Francisco Cunha considera que o dispositivo de combate a incêndios florestais que existe no concelho é suficiente.

“Felgueiras não é um concelho com uma mancha verde muito grande, mas tendo em conta a área geográfica e de intervenção das duas corporações, os meios e os recursos são suficientes e permitem-nos debelar qualquer perigo”, salientou.

Também nas preocupações do vereador estão os incêndios industriais. O concelho de Felgueiras tem uma forte componente industrial, com algumas dezenas de indústrias, sobretudo do setor do calçado.

Francisco Cunha revelou que as empresas possuem, de uma maneira geral, um plano de intervenção imediato que lhes permite fazer face a qualquer situação que possa ocorrer, até solicitarem o apoio e os recursos das corporações de bombeiros se a situação justificar.

“Há cada vez menos incêndios nas empresas. Na maioria dos casos, estamos a falar de pequenas ignições, isoladas, que as empresas conseguem combater com os meios de que dispõem”, relatou, acrescentando que só quando a situação se complica é que são chamadas as corporações de bombeiros.