Está em
Início > Áudio > ATLETISMO: Carla Machado vende rifas para conseguir representar Portugal no mundial

ATLETISMO: Carla Machado vende rifas para conseguir representar Portugal no mundial

A atleta de Felgueiras, Carla Machado, que se sagrou campeã da europa da meia-maratona em veteranos femininos, está a vender rifas para defender o título conquistado e representar Portugal no campeonato do mundo que vai realizar, em outubro, em Perth, na Austrália.

A atleta terá de pagar do próprio bolso os “cerca de 3.000 euros” que são necessários para viabilizar a sua participação na mais importante prova internacional de Masters (veteranos), mesmo que o venha a fazer com as cores nacionais.

Carla Machado admite que a sua presença está em risco devido “á falta de meios económicos para poder realizar a viagem”.

A atleta não terá direito a qualquer apoio financeiro por parte da Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) e até equipamento oficial da seleção portuguesa terá de ser adquirido pela própria.

“É triste até o próprio equipamento ter que comprar. Ou então correrei com algum equipamento que me venham a emprestar. O equipamento era o mínimo dos mínimos, já para não falar de outras coisas básicas”, lamenta.

Carla Machado lembra que, no Algarve, sagrou-se campeã da europa de veteranos usando “um equipamento emprestado por uma colega da União Desportiva de Várzea”.

Carla Machado campeã da Europa de veteranos
Carla Machado campeã da Europa de veteranos

A atleta felgueirense até compreende, em parte, a posição da federação que justifica a falta de apoio com o facto de ser “uma prova aberta, sem necessidade de mínimos, em que qualquer um pode participar”. No entanto, Carla Machado recorda é a melhor da sua categoria e seria sempre “selecionável”.

“Vou lá não é para passear, nem para passar férias. Vou lá para lutar pelas medalhas e representar o país ao mais alto nível”, afirma.

Carla Machado explica que para além de ter de adquirir bilhete de avião para a viagem para Austrália, tem ainda pagar a inscrição na prova da meia-maratona “que custa 80 euros”, acrescida de uma taxa “de 118 de euros”, estadia, alojamento e refeições.

São despesas avultadas que atleta não conseguirá suportar sem qualquer tipo de apoio financeiro. “Não tenho meios. Tenho três filhos, dois a estudar e um na creche, com ordenados baixos é complicado”, confessa.

Apesar das dificuldades financeiras, a atleta felgueirense não desiste da intenção de representar Portugal no mundial de Masters. Para tal, tem vindo a promover uma série de iniciativas como, por exemplo, “a venda de rifas”, agradecendo a ajuda de várias “pessoas amigas do atletismo e não só”.

Tem também solicitado o apoio de “empresas do concelho de Felgueiras e da autarquia local”.

Foi ainda aberta uma conta bancária para envio de donativos (NIB: 0035 2041 0027221230 94 ou IBAN: PT50 0035 2041 00027221230 94).

“É frustrante ter de pedir para representar Portugal. Ouvimos, por vezes, respostas desagradáveis. E depois, uma coisa é pedir para o meu clube, outra coisa é estar a pedir para nós”, diz, desiludida.

“Custa muito, é quase uma humilhação, mas infelizmente tem de ser assim”, acrescenta.

Ainda assim, a ajuda que já vai surgindo de vários quadrantes dar-lhe-á mais força para conquistar uma medalha no campeonato do mundo, até porque considera que esse objetivo está perfeitamente ao seu alcance.

“Tenho estado a acompanhar as inscrições no site da competição até ao momento sou quem tem a melhor marca”, revela, confiante.

Carla Machado chegou a ser uma das mais promissoras atletas nacionais. Representou clubes como o Sporting de Braga e Sport Lisboa e Benfica.

Foi campeã nacional de juvenis e juniores em várias distâncias. Ao serviço das seleções nacionais jovens conquistou uma medalha de bronze coletiva num campeonato do mundo, ao lado de Carla Sacramento, Mónica Gama e Fernanda Ribeiro.

Ainda júnior, mas ao serviço da equipa sénior portuguesa, ganhou nova medalha de bronze no campeonato do mundo de estrada, na distância de 15 Km, juntamente com Manuela Machado, Albertina Machado e Conceição Ferreira.

Afetada por diversas lesões optou por abandonar a modalidade. A paragem durou 15 anos.

Há seis anos atrás, regressou ao atletismo, o tratamento receitado pelos médicos que lhe diagnosticaram “crises de pânico e ansiedade”.

Atualmente, Carla Machado representa a União Desportiva de Várzea, clube do concelho de Felgueiras e um dos mais importantes a nível nacional. É campeã da europa da meia-maratona veteranos femininos, maiores de 45.

 

Luís Miguel Nogueira

Top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com