Coligação PSD/CDS só ganhou em quatro concelhos do Tâmega e Sousa

Da análise dos resultados das eleições, para além da vitória global do PS, verifica-se que a coligação só ganhou em Celorico de Basto, Paços de Ferreira, Paredes e Felgueiras, municípios com autarquias lideradas pelos PSD

Lusa

As maiores vitórias da coligação PSD/CDS, nas europeias de domingo, na região do Tâmega e Sousa, foram alcançadas em Celorico de Basto e em Paços de Ferreira, enquanto que as percentagens mais altas conseguidas pelo PS foram nos concelhos de Baião e Resende.

Da análise dos resultados das eleições, para além da vitória global do PS, verifica-se que a coligação só ganhou em Celorico de Basto, Paços de Ferreira, Paredes e Felgueiras..

Em Celorico de Basto, terra liderada pelo PSD de Joaquim Mota e Silva, a coligação alcançou a maior votação da região, com quase 44%.

Em Felgueiras a vitória laranja foi por apenas dois votos.

Noutros concelhos com câmaras de maioria social-democrata, como Amarante e Marco de Canaveses, o PS foi mais forte nestas eleições para o Parlamento Europeu.

Os socialistas tiveram a sua maior votação em Baião (58,49%), terra do líder da federação distrital, José Luís Carneiro, que foi também o concelho português onde o PS alcançou o seu melhor resultado. Em Resende, Cinfães, Amarante e Castelo de Paiva, as vitórias socialistas foram folgadas, ultrapassando a barreira dos 40%.

O resultado mais fraco do PS, no Vale do Sousa, verificou-se em Felgueiras, com pouco mais de 35%. Pior, no contexto de toda a região do Tâmega e Sousa, só aconteceu em Celorico de Basto, onde os socialistas não chegaram aos 30%.

Em Penafiel, ganhou o PS, mas com uma votação de pouco mais de 36%, um dos mais fracos da região. A coligação PSD/CDS teve  31,34%.

Pior, na ótica da coligação, só aconteceu em Baião (21,91%).

Em Amarante, terra de Assis, depois da vitória nas autárquicas de 2013, a coligação também averbou no domingo uma derrota pesada, não chegando sequer aos 30% e ficando a mais de 11 pontos do PS.

No Marco de Canaveses, o PS foi mais forte, apesar de a câmara ser governada pelo PSD de Manuel Moreira. 

Em Lousada, o PS impôs a sua força, apesar de se ter ficado pelos 39,1%.

A coligação foi mais votada em Paredes, o maior concelho da região, com mais de 36,56%.

O PS, que nas autárquicas de setembro quase ganhou as eleições em Paredes, alcançou ali, nestas europeias, um dos seus piores resultados, com pouco mais de 30%.

Outro dado que ressalta destas eleições é o terceiro lugar alcançado por Marinho Pinto, do Movimento Partido da Terra, em todos os concelhos do Tâmega e Sousa. O resultado mais expressivo foi o verificado em Amarante, terra natal de Marinho Pinto, onde alcançou 12,82%.

No Marco de Canaveses, o antigo bastonário dos advogados também ultrapassou a barreira dos 10%.

A CDU foi a quarta força mais votada, embora o resultado mais expressivo se tenha ficado pelos 6,94% em Paredes. Na maioria dos concelhos, a CDU alcançou entre 4 e os 6%.

O Bloco de Esquerda foi o grande derrotado do dia, apresentando em todos os concelhos votações residuais. O melhor que conseguiu foi 3,85% em Castelo de Paiva.

Armindo Mendes