Diospireiro que sobreviveu em Nagasaki plantado nos jardins da biblioteca

Cerca de 60 crianças da Escola Frei Lucas plantaram hoje um diospireiro descendente das poucas árvores que sobreviveram uma bomba atómica sobre Nagasaki, Japão, lançada em 1945 pelos Estados Unidos, informou fonte da autarquia.

A plantação do diospireiro (conhecido no Japão como kaki) realiza-se no âmbito da política empresarial de responsabilidade social da empresa de bordados HEARTS, sedeada na Lixa e o Kaki Tree Project.

A plantação desta árvore, nascida em Nagasaki, no jardim da Biblioteca envolveu cerca de 60 crianças, dos três aos seis anos, e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Felgueiras, Inácio Ribeiro, da vereadora da Cultura, Carla Meireles, da empresária, Patrícia Costa e da coordenadora da Escola Básica/ JI de Margaride, Felgueiras, Graça Silva.
Citado em comunicado, Inácio Ribeiro salientou a importância da plantação daquela árvore “que é um símbolo da paz e da força da vida que fica plantado num espaço municipal que é de todos”.

Diospireiro que sobreviveu em Nagasaki plantado nos jardins da Biblioteca 3

As crianças que plantaram a árvore recitaram poemas alusivos à temática, desenharam, pintaram dióspiros e afixaram-nos numa árvore que está exposta na sala de exposições da Biblioteca e Arquivo Municipal.

De referir que o projeto «Revive Time Kaki Tree» foi fundado em 1996 pelo botânico Masayuki Ebinuma e pelo artista plástico Tatsuo Miyajima, como forma de valorizar o simbolismo da sobrevivência de uma árvore a uma das maiores tragédias da história da Humanidade.

Dois anos antes, Ebinuma tratou o kaki sobrevivente e conseguiu, a partir das suas sementes, germinar novos diospireiros.

Os mentores do projeto começaram, então, a promover exposições e debates em vários países e a requerer licenças para a exportação de árvores.

Diospireiro que sobreviveu em Nagasaki plantado nos jardins da Biblioteca 2