FC Felgueiras aprova constituição SAD como modelo de gestão para o clube

FOTO: Armindo Mendes

Os sócios do FC Felgueiras aprovaram por unanimidade, na segunda-feira, no auditório da Junta de Freguesia de Margaride, em assembleia geral extraordinária, a constituição de uma sociedade anónima desportiva, como novo modelo de gestão para o clube.

O presidente da Comissão Administrativa do FC Felgueiras, Eduardo Teixeira, defendeu que a constituição do novo modelo vai permitir entrada de investidores externos no clube assim como empresários felgueirenses que querem participar na gestão do emblema e alavancar o clube quer financeira quer desportivamente nos próximos anos.

Eduardo Teixeira afirmou que existem várias propostas de grupos de investidores interessados em investir no FC de Felgueiras.

Ao Expresso de Felgueiras, o responsável pela Comissão Administrativa explicou que o futuro dos clubes passa pela constituição de sociedades anónimas ou sociedades desportivas unipessoais por quotas.

“Os clubes que se querem afirmar, crescer e atingir outros patamares têm que fazer parcerias com investidores de referência para alavancar o clube em termos futuros”, frisou.

Eduardo Teixeira explicou que a constituição de sociedades anónimas desportivas já é obrigatória há alguns anos, por força da própria lei, nos clubes que militam nas competições profissionais e é um modelo que tem sido adotado, noutras divisões, por clubes como o Vizela, o Trofense, o Tirsense, o Amarante e o Gondomar.

O presidente da Comissão Administrativa do FC Felgueiras realçou que os clubes que optaram pelo novo modelo estão melhor apetrechados para “atacar” outros objetivos.

“O Felgueiras tem de aproveitar esta fase em que o clube está estável e existem investidores de referência não só portugueses que querem fazer do Felgueiras um clube maior e melhor”, disse, sustentando que há vários empresários de Felgueiras que estão, também, disponíveis para entrar no capital da sociedade anónima desportiva.

“É um caminho que teremos de seguir. Evidentemente que haverá sempre investidores de referência mas não fechamos as portas a quem quiser ajudar o clube”, acrescentou, sublinhando que o próximo passo passa por escolher os melhores parceiros e as propostas mais viáveis.

O presidente da Comissão Administrativa destacou que a sociedade anónima desportiva será direcionada essencialmente para a equipa principal de futebol.

Eduardo Teixeira esclareceu ainda que com a constituição da sociedade anónima, o clube vai ficar livre para fomentar outras modalidades, transformando o Felgueiras num clube mais eclético.

“Temos uma estratégia para valorizar os jovens e a formação e as nossas equipas”, assegurou.

Ao Expresso de Felgueiras, admitiu a possibilidade da atual comissão administrativa apresentar-se a eleições, que estão agendadas para o dia 6 de junho, apenas com a condição de levar por diante a constituição da sociedade anónima que foi sufragada pelos associados.

“Todo o planeamento da próxima época terá de ser feito tendo como referência a constituição da sociedade, pois é determinante, que na próxima época, possamos dar um crescimento forte à equipa principal”, adiantou.

“Os sócios são soberanos e se porventura alguém tiver uma ideia diferente ou achar que este não é o modelo que melhor serve o clube, tem toda a legitimidade de avançar com uma candidatura”, atirou.

A comissão administrativa em funções termina o seu mandato no dia 31 de maio. A data limite para a entrega das listas é até dia 30 de maio.