Felgueirense Ricardo Soares eleito “Treinador Revelação do Ano”

O treinador felgueirense, Ricardo Soares, foi distinguido com o prémio “Treinador Revelação do Ano”, durante a Gala Quinas de Ouro, evento organizado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que decorreu na noite da passada segunda-feira, no Centro de Congressos do Estoril.

O atual técnico do Desportivo de Chaves bateu a concorrência de Jorge Simão (Sporting de Braga) e Sérgio Bóris, que na época passada conduziu o Cova da Piedade à subida à Segunda Liga.

Ricardo Soares confessa que “foi um momento de felicidade e de alguma surpresa também, porque foi tudo muito rápido”

“Era um prémio para o qual estavam nomeados os melhores. Tinha gente que do meu ponto de vista, se ganhassem, também tinham qualidade para ficar com este prémio”, reconheceu.

O treinador, de 42 anos, ingressou no Desportivo de Chaves no passado mês de dezembro, depois de se ter destacado ao serviço do Vizela, emblema com o qual, na temporada anterior, conquistou o Campeonato de Portugal da Zona Norte.

Ricardo Soares iniciou a carreira de treinador no Caçadores da Taipas, em 2005/2006. Conta ainda com passagens pelo FC Lixa, Académico de Felgueiras, FC Felgueiras, onde foi campeão da 3ª Divisão, e GD Ribeirão.

Felgueirense Ricardo Soares eleito Treinador Revelação do Ano

“Tenho sorte de os clubes onde tenho treinado terem atingido o sucesso. No caso do Felgueiras, com duas subidas de divisão em dois anos, depois a minha ida para Vizela onde conseguimos o feito de voltar aos campeonatos profissionais. Foi tudo muito rápido, mas estou grato às pessoas que apostaram em mim, porque foi para isto que tanto trabalhei e tanto sonhei”, explica.

O técnico, natural de Felgueiras, admite que o prémio “Treinador Revelação do Ano” é o ponto mais alto de uma carreira que principiou nos campeonatos distritais da Associação de Futebol do Porto (AFP).

“Em tão pouco tempo, em cerca de 5, 6 anos, escalar todas as divisões e chegar à Primeira Liga, obviamente que era muito difícil, mas felizmente aconteceu comigo”, recorda.

Ricardo Soares espera que o seu percurso possa servir “de incentivo e de motivação para os treinadores que estão em campeonatos não-profissionais”.

“Que acreditem que um dia isto muda, desde que haja paixão, crença, vontade, determinação e ambição”, acrescenta.

O técnico reconhece que a exigência de treinar ao mais alto nível lhe subtrai muito tempo, sobretudo, para “estar com a esposa e com as filhas”, mas também para visitar com mais assiduidade a sua terra-natal.

“Sou um felgueirense de gema. Tenho muita honra de ser de Felgueiras. Amo a minha terra, não escondo as minhas raízes”, completou.

 

Luís Miguel Nogueira