Novenas sobem o monte em devoção a Santa Quitéria em Felgueiras (C/ÁUDIO)

Grupos de nove raparigas vão subir ao monte de Santa Quitéria, entoando músicas religiosas e percorrendo as capelinhas ali existentes

A tradição das novenas a Santa Quitéria, em Felgueiras, vai ser recriada hoje com a participação de vários grupos do concelho a percorrer as capelinhas desde o sopé até ao alto do monte, terminando na igreja daquele santuário.

Grupos de nove raparigas vão subir ao monte de Santa Quitéria, entoando músicas religiosas e percorrendo as capelinhas ali existentes.

A tradição é antiga, mas tem vindo a desaparecer.

O padre José Maria Pereira, reitor do Santuário de Santa Quitéria, revelou ao Tâmegasousa.pt que hoje em dia já não se fazem novenas como antigamente.

“A tradição perdeu-se. Mantêm-se estas, mas devido à iniciativa da Câmara em promover culturalmente as novenas. Mas não é a mesma coisa”, disse o pároco, vincando: “Uma coisa é representar as novenas, outra coisa é fazê-las com fé”.

Enaltecendo a iniciativa da autarquia de Felgueiras, o padre Pereira revela que o contexto religioso de fé das novenas está a desaparecer.

“Era lindo ouvir a cantar por aí acima, entravam na igreja, rezavam e iam-se embora. Às vezes vinham várias no mesmo dia”, recordou com nostalgia.

Reitor do santuário há cerca de dois anos, o padre José Maria Pereira não se lembra de ter visto novenas desde essa data.

As lembranças do padre vicentino remontam aos anos de 1964 a 1969, em que esteve em Santa Quitéria.

Padre Pereira

“Havia novenas todos os domingos”, recorda, explicando: “se a novena vinha de longe, era preciso nove raparigas que andassem bem. Se fosse de perto era feita com miúdas de oito e nove anos, que vinham a cantar”.

Ao Tâmegasousa.pt, o padre Pereira explicou que existem diferentes tipos de novenas. As de Felgueiras são novenas que envolvem sempre nove pessoas.

“O número nove está associado às nove irmãs de Santa Quitéria”, observou.

Para cada novena é composta uma letra e uma música, que é entoada durante a peregrinação.

“As músicas exprimem a fé de cada novena”, contou ainda o padre Pereira, revelando: “Hoje teríamos um património incalculável se tivéssemos apanhado as músicas que o povo fazia expressamente para aquela novela e as letras que compunham”.

Acompanhado por um livro da rota dos santuários, o pároco realçou a importância daqueles espaços religiosos para as mais variadas manifestações de fé.

“Este livro, que acaba de ser editado, compila os 161 santuários de Portugal, onde Santa Quitéria está inserido. Apresenta as tradições ligadas aos santuários”, explicou.

Segundo o reitor, o Santuário de Santa Quitéria recebe, anualmente, milhares de visitantes. As pessoas deslocam-se, muitas vezes, em peregrinação e chegam ao santuário a pé, vindas de vários pontos do país.

O padre José Maria Pereira acredita que o livro da rota dos santuários venha a trazer ainda mais pessoas ao santuário, que valorizem aqueles espaços e a fé.

As novenas são promovidas pela Câmara de Felgueiras, em colaboração com as coletividades culturais do concelho, no sentido de preservar a tradição secular a nível cultural, religioso e popular.