Jovens da Lixa uniram-se para manterem tradição festiva herdada de pais e avós

As Festas das Vitórias têm uma tradição muito enraizada, sobretudo entre os mais velhos, muito ligada ao bairrismo das gentes da Lixa, na rivalidade centenária que mantêm com Felgueiras, que a jovem comissão de 2014 quer manter

Armindo Mendes/Lusa

Felgueiras, 31 jan (Lusa) – Dezenas de jovens, quase todos com menos de 30 anos, uniram-se para garantirem que não se vai perder, em 2014, a tradição antiga das Festas das Vitórias, na Lixa, Felgueiras, herdada dos seus pais avós.
“Somos 30 de várias idades e profissões. Queremos chegar à população e garantir a tradição”, explicou à Lusa Hélder Coimbra, presidente da Comissão de Festas.
Segundo afirmou, o envolvimento e entusiasmo de tantos jovens da Lixa dizem bem do interesse que revelam por uma romaria tão antiga e que todos os anos, em setembro, atrai dezenas de milhares de pessoas de todo o Tâmega e Sousa.
“As Vitórias dizem muito a todos os que, como nós, crescemos na Lixa”, declarou.
Aquele elemento explicou que houve necessidade de, nas últimas semanas, aparecer junto da população da cidade, com várias atividades, para que as pessoas ficassem a conhecer os rostos e a capacidade organizativa dos vários elementos.
“Os mais velhos, às vezes, ficam um pouco desconfiados, mas isso passa logo”, gracejou, recordando que a associação com os jovens foi criada em 2013 “para garantir uma estrutura mais organizada às festas”.
“Está toda a gente cheia de vontade, porque também tem orgulho na sua terra e nas suas tradições”, considerou ainda.
As Festas das Vitórias têm uma tradição muito enraizada, sobretudo entre os mais velhos, muito ligada ao bairrismo das gentes da Lixa, na rivalidade centenária que mantêm com Felgueiras, que a jovem comissão de 2014 quer manter. Para o responsável, é importante ouvir o contributo dos mais velhos, os que têm experiência na organização das festas.
“Isso tem sido feito. Queremos o contributo de todos para termos umas festas maiores e melhores”, reconheceu, acrescentando: “Vamos manter a tradição nos pontos altos das festas, mas estamos abertos a sugestões da população para corrigir algumas coisas que tenham estado menos bem”.
A comissão já organizou várias iniciativas para angariação de fundos, entre as quais uma noite de fados, uma festa de Natal, entre outras. Até final de agosto, é preciso reunir várias dezenas de milhares de euros para suportar as despesas do programa.
Para além de algumas atividades que estão ainda a ser planeadas, Hélder Coimbra disse que se prevê para este ano a organização do Carnaval de rua, a Feira das Oitavas, uma feira de produtos em segunda mão e velharias, um arraial e uma festa da francesinha.
“O entusiasmo dos jovens vai ser bem visível”, prometeu.
Hélder Coimbra admitiu, por outro lado, peso da responsabilidade de manter no programa os aspetos religioso, que tanta devoção tem região, e o profano, como exigem os mais foliões.
“Ambas as vertentes são importantes e queremos continuá-las”, prometeu.
APM // MSP
Lusa/fim