Líder do PSD/Porto disse em Penafiel que SNS mantém qualidade

"O PSD está a racionalizar SNS, no sentido de ser sustentável a médio e longo prazo, mantendo os níveis de qualidade dos cuidados prestados aos utentes", declarou

O líder da Distrital do PSD/Porto e deputado Virgílio Macedo disse hoje à Lusa que a racionalização no Serviço Nacional e Saúde (SNS) feita pelo Governo tem permitido poupar recursos, mas mantendo a qualidade dos cuidados prestados.

“O PSD está a racionalizar SNS, no sentido de ser sustentável a médio e longo prazo, mantendo os níveis de qualidade dos cuidados prestados aos utentes”, declarou.

Em declarações à agência Lusa, após a visita que parlamentares sociais-democratas fizeram hoje ao Centro de Saúde de Penafiel, Virgílio Macedo sublinhou ser importante poupar, mas “mantendo ou incrementando a qualidade dos serviços”. É esse trabalho que, segundo o deputado, está a ser realizado na zona abrangida pelo Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Tâmega II – Vale de Sousa Sul, com sede em Penafiel.

“É um ACES exemplo do muito que tem sido feito nos últimos anos ao nível da saúde em Portugal”, considerou.

Virgílio Macedo destacou que, nos últimos dois anos, “todos os indicadores de atividade daquele agrupamento de centros de saúde têm evoluído de forma positiva”.

“Tem sido possível criar mais e melhores cuidados de saúde às populações, fazendo uma utilização mais eficiente dos recursos existentes”, declarou, assinalando, como exemplo, a “redução drástica”, nos últimos dois anos, no número de utentes sem médico de família.

Segundo avançou à Lusa, o número de beneficiários do SNS sem médico abrangidos por aquele ACES baixou dos 17.700 para os 10.200.

O deputado e líder da distrital do PSD no Porto congratulou-se por aquele ACES ter sido considerado o segundo melhor na região norte.

Virgílio Macedo disse, por outro lado, haver todas as garantias de que não está previsto o encerramento de qualquer extensão saúde no concelho de Penafiel.

Questionado pela Lusa sobre a insuficiência de médicos em alguns concelhos do interior do distrito, o deputado admitiu a situação, mas disse que a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) “tem feito tudo” para a ultrapassar.

“Inexplicavelmente são abertos concursos para a contratação de médicos, mas não tem sido possível fazer o recrutamento”, lamentou.

O líder distrital do PSD disse que a ARS-N “está atenta e, de forma proactiva, a tentar resolver essas insuficiências, que são situações muito pontuais”.

Sobre o caso concreto de Felgueiras, concelho onde a população já se manifestou várias vezes, na rua, contra a falta de médicos, o deputado admitiu ser uma “situação inexplicável” as dificuldades na contratação de clínicos.

À Lusa, Virgílio Macedo prometeu que “vão ser tomadas medidas adicionais pela ARS-N no sentido de aumentar a atratividade em Felgueiras, para que, definitivamente, a questão seja ultrapassada”.

“Isso será uma realizada a curto prazo”, acentuou.