Mais de 200 bombeiros da região integram o dispositivo de combate a incêndios

Desde o dia 1 de julho que o dispositivo se encontra na “Fase Charlie”, que terminará a 30 de setembro

FOTO: Armindo Mendes

 

Mais de 200 bombeiros de 20 corporações da região do Tâmega e Sousa integram o dispositivo de combate a incêndios na fase considerada a mais grave na escala de três da Diretiva Operacional Nacional do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF)

Desde o dia 1 de julho que o dispositivo se encontra na “Fase Charlie”, que terminará a 30 de setembro.

O município de Amarante conta com 24 bombeiros diariamente. Duas Equipas de Combate a Incêndios (ECIN), compostas por cinco elementos cada, e uma Equipa de Logística de Apoio ao Combate (ELAC), com dois bombeiros estão diariamente nos Bombeiros de Amarante. Os Bombeiros de Vila Meã, outra corporação do concelho, contam com duas equipas de ECIN.

No concelho de Baião, um dos concelhos mais atingidos por fogos florestais, devido à sua vasta área florestal, as duas corporações, Baião e Santa Marinha do Zêzere, têm diariamente 25 bombeiros, que integram as três equipas de ECIN em Baião e duas em Santa Marinha.

Castelo de Paiva é a corporação da região com mais bombeiros disponíveis, distribuídos por quatro equipas de ECIN, totalizando 20 elementos.

A corporação de Celorico de Basto, concelho que é também dos mais fustigados pelos incêndios, tem três equipas de ECIN, com 15 elementos diários no quartel.

Entrega equipamentos no Marco 3

No concelho de Paredes operam cinco corporações, com 42 bombeiros disponíveis diariamente. Os Bombeiros de Baltar contam com duas equipas de ECIN e uma ELAC, os Bombeiros de Cete e de Lordelo têm duas equipas de ECIN, cada, os Bombeiros de Paredes e de Rebordosa contam com uma equipa de ECIN, cada.

Os Bombeiros de Penafiel Entre-os-Rios de Paço de Sousa cobrem a área do concelho de Penafiel, com 27 elementos diariamente nos quarteis.

As corporações de Penafiel são ainda apoiadas, durante os meses de julhos, agosto e setembro, pelo veículo municipal de incêndios florestais, fruto de um protocolo com a Câmara de Penafiel.

No concelho de Felgueiras, os Bombeiros de Felgueiras e os Bombeiros da Lixa contam com 17 elementos no dispositivo. Os Bombeiros de Felgueiras têm em permanência no quartel uma equipa de ECIN e os Bombeiros da Lixa contam com duas equipas de ECIN e uma ELAC.

Uma equipa de ECIN, com cinco elementos estão diariamente nos Bombeiros de Lousada.

Em Marco de Canaveses, o dispositivo é composto por 12 elementos, 10 que integram duas equipas de ECIN e dois uma equipa de ELAC.

O concelho de Paços de Ferreira, que conta com duas corporações, tem no dispositivo 20 elementos. Os Bombeiros de Paços de Ferreira têm uma equipa de ECIN e os Bombeiros de Freamunde contam com três equipas de combate a incêndios.

Os meios na região são ainda reforçados com um meio aéreo da proteção civil, que se encontra estacionado no quartel dos Bombeiros de Baltar, Paredes.

Este ano, as corporações de bombeiros da região do Tâmega e Sousa foram ainda beneficiadas com a entrega de equipamentos de proteção individual, na sequência de um protocolo entre as câmaras municipais e a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa.