Marchas, arruadas, concertos e despique de bombos animam Amarante

 

São milhares os romeiros e os foliões vindos de todo o país, que ano após ano, viajam até Amarante para as tradicionais festas em honra de São Gonçalo – o santo padroeiro, conhecido por santo casamenteiro.

A religião e o profano unem-se à tradição e à cultura popular nestas festas que, durante três dias, oferecem um programa diversificado.

O destaque vai para o tradicional despique de bombos com grupos do concelho e que ao longo de cinco horas animam o Largo de São Gonçalo. Os concertos de música com artistas nacionais, as cerimónias religiosas, o fogo de artifício, a feira de gado, recentemente reativada, e o desfile de marchas populares, que encerram as festas, são os pontos altos das festividades. A animação multiplica-se pelas ruas de Amarante e invade as margens do Tâmega. Por estes dias, não faltam ainda as atuações dos grupos folclóricos e das bandas musicais, sem esquecer a habitual animação de rua.

Os dotes de casamenteiro estão associados a São Gonçalo, que terá nascido em Tagilde-Guimarães por volta de 1200, e falecido em Amarante em 1262. Dotes esses que são muito requisitados por moças e velhas solteiras, cujas preces se encontram caricaturadas nos doces fálicos. De tamanhos normais ou desmedidos, os doces abundam pelas ruas da cidade e são muito procurados nos dias de festa.

As Festas do Junho, em honra de S. Gonçalo, são, na verdade, o ponto alto das festividades do concelho de Amarante. Numa combinação de tradição e religião, estas festas populares exaltam a genuinidade do ambiente festivo, ao mesmo tempo que despertam o lado mais divertido de cada um.