Está em
Início > Destaque > Novo presidente da Câmara de Felgueiras equaciona auditoria às contas

Novo presidente da Câmara de Felgueiras equaciona auditoria às contas

O presidente da Câmara de Felgueiras, Nuno Fonseca, eleito no dia 01 de outubro, disse hoje à Lusa estar a ponderar uma auditoria às contas municipais, depois de encontrar a autarquia sem fundos disponíveis.

“Estou preocupado com a situação das contas da autarquia, que terá de ser verificada”, afirmou o autarca, frisando que até à entrada em vigor do novo orçamento, em janeiro, até as despesas mais pequenas têm de ser adiadas, tendo em conta que há fundos negativos disponíveis no valor de 1,3 milhões de euros.

A coligação “Sim Acredita”, apoiada pelo PS e pelo partido Livre, ganhou as autárquicas em Felgueiras com maioria absoluta, derrotando o social-democrata Inácio Ribeiro, que governava há dois mandatos.

Na primeira reunião pública do executivo, realizada na quinta-feira à tarde, Nuno Fonseca confrontou os quatro vereadores da oposição (PSD), que estiveram no poder no anterior mandato, com a situação em que se encontram as finanças da câmara municipal, entregando-lhes um quadro que reproduz o momento atual, nomeadamente dos fundos disponíveis negativos.

Nuno Fonseca criticou também o anterior executivo por ter antecipado receitas que estavam indicadas para o final deste ano.

À Lusa, o autarca assinalou hoje que está a ser realizado o “levantamento interno rigoroso” das situações, incluindo anotou, algumas obras lançadas pelo anterior executivo sem alegadamente estarem contratualizadas. Em função do que for apurado, acrescentou, será tomada a decisão de se avançar ou não para uma auditoria externa, algo que, admitiu ainda, seria desejável evitar devido aos elevados custos que comportaria para o município.

 

PSD rejeita acusações da maioria

Na reunião de executivo, a oposição rejeitou que as contas da câmara estejam desequilibradas, defendendo que os fundos disponíveis negativos atuais são uma “situação pontual”, igual a outras que por vezes acontecem. O antigo vice-presidente, João Sousa, lembrou que nos últimos meses de mandato houve necessidade de alocar fundos financeiros para fazer face ao volume de “obras prioritárias” no concelho, que estimou representarem um investimento de 10 milhões de euros.

Vereadores do PSD na Câmara de Felgueiras

Para o líder da oposição, os últimos indicadores da Direção Geral da Administração Local (DGAL), do segundo trimestre de 2017, atestam os “bons indicadores financeiros da autarquia”, recordando que no anterior mandato a Câmara de Felgueiras estava “entre as melhores” da região nos prazos de pagamento a fornecedores.

Apesar dos argumentos do vereador João Sousa, o presidente manteve a sua posição, insistindo na necessidade de ser “escrutinada” a situação financeira.

Top