Nuno Fonseca diz que presença da Polícia Judiciária na câmara tem sido “assídua”

Nuno Fonseca disse, na recente reunião do executivo, que a Polícia Judiciária (PJ) tem sido “assídua” na Câmara de Felgueiras, na sequência de denúncias anónimas, desde 2018, sobre várias situações relacionadas com a autarquia, incluindo as Festas de S. Pedro.

Segundo o presidente, os inspetores da PJ têm feito perguntas sobre deslocações de viaturas do município, verbas atribuídas pela câmara à comissão de festas de S. Pedro, contratação e nomeação de pessoas e campo sintético do F. C. Lixa.

A declaração de Nuno Fonseca ocorreu na sequência de uma questão suscitada pela oposição, no período antes da ordem do dia, que pedia esclarecimentos sobre uma declaração do chefe do executivo na última assembleia municipal.

Nuno Fonseca afirmou aos vereadores social-democratas: “Andamos preocupados a dar resposta às pedras que nos têm posto no caminho”.

Afirmando-se com “consciência tranquila”, o autarca admitiu estranhar a “coincidência” das denúncias anónimas com algumas “questões que têm sido levantadas na assembleia municipal pela bancada do PSD.

Os vereadores João Sousa e Joaquim Ribeiro, do PSD, negaram que aquele partido tenha alguma relação com as denúncias anónimas, sublinhando que as dúvidas que assistem à oposição têm sido colocadas nos locais próprios, nomeadamente nas reuniões do executivo.

O vereador do PSD, Joaquim Ribeiro
O vereador do PSD, Joaquim Ribeiro, tem protagonizado momentos de algumas crispação com o presidente Nuno Fonseca

Numa reunião com sucessivos momentos de crispação, aquela questão voltou a gerar uma acesa troca de argumentos entre o presidente e os vereadores da oposição, com acusações recíprocas de falta de respeito ao órgão.