Está em
Início > Destaque > Nuno Fonseca “preocupado” com situação financeira da Câmara e avança com auditoria

Nuno Fonseca “preocupado” com situação financeira da Câmara e avança com auditoria

O presidente da Câmara de Felgueiras, Nuno Fonseca (PS), informou a assembleia municipal que vai ser realizada uma auditoria externa independente às contas do município, reafirmando estar preocupado com a situação financeira atual.

Respondendo a uma questão do PSD na reunião realizada na quarta-feira à noite, o chefe do novo executivo anunciou que vai avançar uma consulta ao mercado para a indicação da empresa que assumirá a responsabilidade da auditoria e para quantificar o custo desse trabalho.

Para sustentar a sua preocupação, Nuno Fonseca enumerou alguns dos compromissos financeiros herdados da anterior gestão social-democrata, os quais, frisou, se traduzem para a autarquia, no atual semestre, num passivo de três milhões de euros.

Passivo de três milhões no primeiro semestre de 2018, frisou o presidente da Câmara

O autarca elencou que no início deste ano os fundos disponíveis eram positivos, na ordem dos 18 milhões de euros, o que considerou ser “normal”, mas recordou aos deputados municipais a herança de compromissos assumidos pelo anterior executivo de 11,5 milhões, aos quais acrescem 5,1 milhões de despesas certas e permanentes, cinco milhões para vencimentos e 269 mil euros de acordos de execução assumidos com as juntas de freguesia.

“Isto dá-nos um défice de três milhões de euros. O total dos compromissos para os anos seguintes está nos 20 milhões de euros”, anotou.

O autarca mostrou-se seguro de que aqueles números serão refletidos na auditoria.

“Serão os auditores externos que vão dar resposta a isso”, acentuou.

PSD reafirma ter deixado “boa saúde financeira”

Nuno Fonseca respondia a uma questão do deputado do PSD José Mendes, a propósito dos compromissos plurianuais do município de Felgueiras.

FOTO: Armindo Mendes
FOTO: Armindo Mendes

 

O social-democrata aludiu à sua experiência de contabilista para, com base na análise dados das contas de 2017, reafirmar a boa saúde financeira da autarquia, em resultado da gestão do PSD.

“No que toca à parte financeira, tenho a forte convicção de que a situação melhorou substancialmente face aos executivos anteriores”, declarou, recordando ter sido essa a convicção que levou o PSD a solicitar à maioria, na anterior sessão da assembleia municipal, uma auditoria às contas.

José Mendes reafirmou que no final do ano passado a câmara não tinha pagamentos em atraso e que esse é “um sinal claro de uma boa saúde financeira”.

APM // JGJ

Lusa/Fim

Top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com