Portugal e Brasil debatem futuro do património arquitetónico no Mosteiro de Pombeiro

O Mosteiro de Pombeiro, Monumento Nacional que integra a Rota do Românico, em Felgueiras, vai juntar Portugal e Brasil num debate e reflexão sobre o património cultural, informou fonte da organização.

O evento decorre no âmbito do 4.º Fórum Internacional do Património Arquitetónico Portugal/Brasil, que decorrerá na quinta e na sexta-feira.

O fórum é uma organização conjunta da Universidade de Aveiro e da Rota do Românico, com a parceria do Instituto dos Arquitetos do Brasil – Núcleo de Campinas e da Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

O 4.º Fórum Internacional do Património Arquitetónico Portugal/Brasil pretende contribuir para a divulgação do trabalho que tem sido desenvolvido nos dois países em torno do património arquitetónico.

No encontro bilateral, as questões associadas à gestão e classificação do património edificado, a manutenção e a reabilitação, a par da dinamização e do processo de criação de valor, vão estar no centro do debate multidisciplinar e interinstitucional entre os diversos profissionais portugueses e brasileiros.

A cooperação entre Portugal e o Brasil e o seu legado comum sublinham o objetivo principal da partilha de saberes e experiências ao nível técnico, científico e cultural que permitirá consolidar ações conjuntas, parcerias e, ainda, o debate em torno das políticas culturais relativas à gestão do património.

Na edição deste ano, Rosário Correia Machado, diretora do Rota do Românico, e Sérgio Magalhães, presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil, vão marcar a abertura dos trabalhos dirigidos à participação dos arquitetos, dos técnicos, da comunidade científica, das empresas, dos agentes culturais, das autarquias, das instituições ligadas à preservação e manutenção do Património e do público interessado por este tema.

Entre os diversos oradores convidados, salienta-se Paula Silva, líder da Direção Geral do Património Cultural (Portugal), Andrey Schlee, diretor no Instituto do Património Histórico e Artístico Nacional (Brasil), e Enrique Saiz Martín, diretor geral do Património Cultural da Junta de Castela e Leão (Espanha).