PSD acusa Câmara de Felgueiras de negócio com socialista que foi vereador no mandato

O PSD acusou hoje a Câmara de Felgueiras (PS) de ter feito uma aquisição de tinta, por 71 mil euros, à empresa de um dirigente local socialista que exerceu funções de vereador no atual mandato.

Para aquele partido da oposição no concelho, o contrato celebrado traduz “um abuso de poder em benefício de interesses particulares”.

Num comunicado enviado à Lusa, a concelhia social-democrata refere que se trata de uma “aquisição de tinta em regime de fornecimento contínuo”, de 02 de outubro deste ano, pelo valor de 70.911,15 euros, por 1095 dias, no âmbito de um procedimento de consulta prévia, acrescentando não terem sido divulgadas, publicamente, “as demais entidades consultadas”.

No comunicado enviado à Lusa, acompanhado de uma cópia do contrato e outra documentação, refere-se que a empresa Adão César – Comércio de Tintas, Unipessoal, Lda. pertence a Adão César Teixeira de Sousa, membro da concelhia do PS e que integrou, no nono lugar, a lista do PS/Livre, liderada por Nuno Fonseca, que ganhou as autárquicas de 2017, em Felgueiras.

 

EMPRESÁRIO SOCIALISTA PARTICIPOU EM DUAS REUNIÕES DE CÂMARA

 

No dia de 06 de junho de 2019, acentuou hoje o PSD, Adão César Teixeira de Sousa participou, como vereador, na reunião do executivo, como consta em ata.

A Lusa apurou, entretanto, que Adão César Teixeira de Sousa também participou, como vereador da maioria, na reunião do executivo, de 05 de setembro.

Lê-se ainda no documento social-democrata que “o PSD de Felgueiras repudia com veemência este comportamento do executivo municipal”, acrescentando-se que “os felgueirenses não podem ficar indiferentes a práticas pouco transparentes que conferem um claro benefício das empresas próximas do poder”.

A Lusa pediu hoje uma reação da Câmara de Felgueiras, que remeteu uma resposta para momento posterior.