Serra do Marão une seis municípios em projetos de reflorestação e turismo

A serra do Marão vai unir os seis municípios que a rodeiam em projetos de proteção contra incêndios, reflorestação e dinamização do turismo da natureza com vista ao desenvolvimento comum dos concelhos.

“O que se pretende é desenvolver um projeto conjunto para a serra do Marão, na sua totalidade, de maneira a que todas as intervenções sejam complementares e não concorrenciais”, afirmou hoje à agência Lusa o presidente da Câmara de Santa Marta de Penaguião, Luís Machado (PS), que lidera o processo.

Na sexta-feira, os autarcas de Santa Marta de Penaguião, Vila Real, Peso da Régua e Mesão Frio (todos do distrito de Vila Real) e Baião e Amarante (distrito do Porto) sobem ao alto da serra do Marão para a assinatura de um protocolo que os vai unir.

Luís Machado sublinhou que um dos “primeiros objetivos” é a proteção da floresta contra incêndios e a reflorestação da serra.

Depois, continuou, a ideia é ainda “explorar todos os produtos endógenos da serra, a dinamização do turismo de natureza, tendo em conta as potencialidades nessa área, nomeadamente a paisagem, trilhos, gastronomia e a biodiversidade”.

“Fazermos uma intervenção conjunta de maneira a termos o maior sucesso e a criar riqueza para todos, nomeadamente os que vivem nas aldeias serranas”, frisou.

Luís Machado salientou que este protocolo tem como objetivo ajudar a fixar as pessoas, nomeadamente os mais jovens, que já vivem nestes territórios e criar condições para que outros também se instalem lá.

E esta é, na sua opinião, uma serra de oportunidades e potencialidades. Com 1415 metros de altitude, o Marão é a sexta maior elevação de Portugal Continental. Possui ainda uma grande mancha florestal e, na zona cimeira, está instalada uma capela onde todos os anos se faz uma festa em honra da Senhora da Serra.

O autarca elencou como potencialidades a plantação de pinheiro e a exploração de resina, ainda a produção de castanha ou a apicultura, a pastorícia, a gastronomia e o alojamento local, e o turismo da natureza que já atrai muitos à serra para caminhadas, corridas e até observação de aves.

“Tudo isto pode ser um potencial para as aldeias serranas e os concelhos”, salientou.

Todos os municípios possuem ligação ao alto da serra através de estradões de terra batida, mas existe apenas uma estrada alcatroada que se encontra em más condições, cheia de buracos, é íngreme e estreita e tem dividido os autarcas sobre as responsabilidades na sua requalificação.

“Estou convicto e aliás já foi tema de discussão nas reuniões preparatórias e é pacífico. Cada município vai assumir a responsabilidade na sua área territorial. Nós, Vila Real e Amarante, em conjunto vamos requalificar aquele espaço para que o acesso à zona alta da serra seja mais fácil e seguro”, garantiu o presidente de Santa Marta de Penaguião.

PLI // JGJ

Lusa/Fim