“Sim Acredita”, de Nuno Fonseca, conquistou ao PSD a Câmara de Felgueiras

FOTO: Armindo Mendes

A coligação “Sim Acredita”, que reúne o PS e o partido Livre, liderada pelo empresário Nuno Fonseca, conquistou, no domingo, a presidência da Câmara de Felgueiras, com maioria absoluta.

De acordo com os resultados oficiais, a força vencedora alcançou 47,43% dos votos, contra os 40,08% dos votos da coligação PSD/PPM, de Inácio Ribeiro, que governava a autarquia de Felgueiras, com maioria absoluta, desde 2009.

As duas forças ficaram separadas por 2507 votos.

A derrota do PSD em Felgueiras ocorre 48 horas depois de o líder nacional, Pedro Passos Coelho, ter escolhido aquele concelho do Vale do Sousa para encerrar a campanha eleitoral.

A coligação Novo Rumo (CDS-PP e Nós Cidadãos) teve 5,5% dos votos, não elegendo qualquer vereador.

No encerramento da campanha, o mercado encheu e os apoiantes acreditaram que seria possível ganhar
No encerramento da campanha, o mercado encheu e os apoiantes acreditaram que seria possível ganhar. O sonho tornou-se realidade no domingo e Nuno Fonseca ganhou

A coligação “Sim Acredita” também foi a mais votada na eleição para a Assembleia Municipal e conquistando algumas das mais maiores freguesias do concelho.

 

NUNO FONSECA É O NOVO PRESIDENTE DA CÂMARA

Apresentação Nuno Fonseca mercado municipal Nuno Fonseca

O “Sim Acredita” começou por ser um movimento independente de cidadãos, ao qual se juntou o PS, por iniciativa da Federação do Porto, que avocou o processo autárquico local face à incapacidade que o PS local assumiu em arranjar candidato. A estrutura socialista em Felgueiras, nomeadamente o seu líder Eduardo Bragança, não se envolveu, nem apoiou a candidatura de Nuno Fonseca.

No domingo à noite, milhares de pessoas saíram à rua na cidade de Felgueiras para saudar o presidente eleito.

SIM ACREDITA comício mercado 2

Dirigindo-se à multidão que se concentrava junto à sede de campanha, Nuno Fonseca agradeceu o apoio e a confiança do eleitorado, prometendo muito trabalho nos próximos quatro anos para concretizar o programa com que se apresentou nestas eleições.

Tentamos hoje, sem sucesso, ouvir o presidente eleito Nuno Fonseca. Contamos fazê-lo na segunda-feira.