“Tino de Rans” anuncia candidatura à Câmara de Penafiel na Feira de S. Martinho

O ex-candidato presidencial, Vitorino Silva, conhecido como “Tino de Rans”, vai apresentar-se, no domingo, em plena Feira de S. Martinho, como candidato à Câmara de Penafiel, confirmou o próprio à nossa redação.

“Vai ser no domingo, em plena feira de S. Martinho, que é a festa dos penafidelenses há muitos anos e nada melhor que [fazê-lo] no meio do povo, porque sou um homem do povo, para apresentar a minha candidatura”, avançou.

O antigo presidente da Junta de Rans, em Penafiel, disse que falará à população, às 16:00, em frente aos Paços do Concelho, na avenida principal da cidade, que àquela hora deverá estar repleta de pessoas.

Vitorino Silva refere que a sua candidatura é um “ponto assente” e que a dúvida agora é saber se o fará pelo partido TOP (Todo o Português), que diz estar a formar, ou liderando um grupo independente, mas com a mesma designação.

Nesta fase, explicou, já está a recolher assinaturas para criar o partido, contando já 1.500.

Disse esperar reunir 7.500 assinaturas para entregar no Tribunal Constitucional, em janeiro. Se a legalização não for a tempo das eleições autárquicas, ressalvou, avançará como independente.

“Com partido ou em movimento vamos a votos, porque os líderes têm de ir a votos e nada melhor do que ir a votos na minha terra e jogar em casa”, comentou, dizendo não estar sozinho. Prometeu, por isso, que o seu partido ou movimento apresentará listas à Câmara, Assembleia Municipal e Freguesias.

FOTO: OCTÁVIO PASSOS/LUSA
FOTO: OCTÁVIO PASSOS/LUSA

Nas últimas Eleições Presidenciais, Vitorino Silva teve 152.045 votos em termos nacionais e foi o segundo candidato mais votado no seu concelho, com 22,71% e 8.212 votos, só atrás de Marcelo Rebelo de Sousa.

Questionado hoje sobre se, face ao resultado que alcançou no seu concelho, acredita ser possível ganhar as eleições autárquicas em 2017 em Penafiel, respondeu que “em democracia tudo pode acontecer”.

“Se nós vivêssemos em ditadura, eu não era candidato. Em democracia, os votos chegam para todos. O presidente do júri vai ser o povo. Depois, no dia das eleições, vai-se contar os votos”, declarou.

O candidato prometeu, sorrindo, que, a partir de domingo, vai “entrar a matar”, prometendo que irá para a rua, para as freguesias e arranjar as 7.500 assinaturas.

“Eu vou a todo lado. Onde houver um penafidelense eu vou lá. O meu habitat natural é no meio do povo”, reafirmou.

Sobre o tipo de campanha que se propõe realizar, Vitorino Silva recordou que “o TOP é um partido de 360 graus”, porque, explicou, “todos cabem, os que estão à direita, à esquerda, à frene ou atrás”.

“Eu sou o candidato por todos os penafidelenses. Penafiel é um concelho com história e tenho muito orgulho, mas estou mais preocupado com o futuro de Penafiel”, rematou.