Torrados ascende do amador à 1ª distrital em apenas dois anos (C/ÁUDIO)

A União Desportiva de Torrados garantiu, no domingo, a subida à 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto (AFP), após um triunfo, por 3-1, na receção ao São Félix da Marinha, no encontro a contar para a penúltima jornada do play-off de subida da 2ª distrital.

Uma histórica conquista de uma coletividade que apenas há dois anos disputava o campeonato concelhio de Felgueiras. O Torrados estreou-se nas competições da associação portuense na época passada com um honroso 4º lugar.

Torrados

David Moina confessa que foi “um dia muito especial para uma equipa que ainda há pouco tempo disputava os campeonatos populares” e aponta os jogadores e o presidente Mário Silva como “os grandes obreiros” da subida.

“Foi uma época muito desgastante. Foi uma temporada longa. Ficamos em 1º lugar na fase regular. Depois entramos a perder com o Salvadorense no play-off e parecia que tudo o que fizemos tinha ido por água abaixo. Passamos de ser os melhores jogadores e melhores treinadores do mundo para ser os piores. Felizmente hoje está tudo bem”, acrescentou o técnico do Torrados.

David Moina lembra que a coletividade do concelho de Felgueiras “não tem campo próprio”, tendo disputado os seus jogos, na condição de visitado, em Regilde, o que valoriza ainda mais a proeza alcançada.

“Não há nada como jogar em nossa casa, num campo no meio da nossa freguesia, onde o povo acaba de ir à missa e até vai ver a bola. É muito complicado jogar no campo dos outros onde não podemos fazer tudo o que queremos, mas felizmente hoje é um dia bonito, que fica para a história”, disse.

Os trabalhos de construção do novo campo de futebol da União Desportiva de Torrados arrancaram no passado dia 1 de março e devem ficar concluídos nos primeiros meses do próximo ano. Ou seja, na nova época a equipa felgueirense terá de realizar os primeiros jogos na 1ª divisão AFP em casa emprestada.

A formação orientada por David Moina ainda tem possibilidades de sagrar-se campeã de série. Para tal, na última jornada, terá de vencer na deslocação a Raimonda e aguardar por uma derrota do Salvadorense em São Félix da Marinha.

“Nós acreditamos que isso é possível, senão nem valia a pena ir a Raimonda. Acreditamos que podemos ser primeiros e então, aí, ainda era melhor do que tem sido até agora”, confessa.

 

Luís Miguel Nogueira