Está em
Início > Destaque > “Wonderland!”

“Wonderland!”

Ultimam-se os pormenores do elenco de candidatos que cada uma das candidaturas irá apresentar às Assembleias de Freguesia, Assembleia Municipal e Câmara Municipal. Depois de tempos de indefinição aconteceu de tudo: confirmaram-se expectativas, confirmaram-se rumores, e até há lugar a algumas surpresas! Relativamente a rumores, confirmaram-se as transferências de Presidentes de Junta eleitos em listas do Partido Socialista em 2013 para as listas do PSD agora em 2017. Embora este facto não seja  surpreendente, aliás há mais ou menos um ano atrás o PS/Felgueiras já tinha tornado público que existia uma abordagem de uma “troika” municipal a tratar de “atrair” estas e outras pessoas no sentido de conseguir a mudança de campo, ou seja, o “virar da casaca”, revela o pior da política: o sentido eleitoralista!

Obviamente que os 4 (provavelmente 5) cuja transferência já está confirmada têm liberdade de escolha sobre qual o projeto que pretendem apoiar, e qual a bandeira que pretendem defender e envergar, mas aqui, assistimos a uma falta de honradez política gritante. Assistimos a falta de verticalidade e coerência política chocante face ao que politicamente defenderam, criticaram, e como sempre se posicionaram! Perante isto, aquilo que salta à vista, é que estes senhores Presidentes de Junta que decidiram mudar de campo político não o fizeram – primariamente -, em benefício das populações das freguesias que têm governado: fizeram-no com o objetivo de assegurar a sua eleição para um novo mandato!… E aqui reside o busílis da questão! No tempo em que vivemos, de democracia plena, é invocável, gostaria de sublinhar invocável, que estar integrado e alinhado com a candidatura no Poder significa maior capacidade de realização de obras nas suas freguesias! Trazer este argumento à discussão já é grave, e se isso fosse realidade e argumentado (porque argumentável não é) então estaríamos/estaremos perante um caso grave de atropelo à liberdade democrática e de cooperação institucional a que qualquer Executivo Municipal está formalmente “obrigado”, que merece condenação e penalização! Compreendo que o apelo do Poder seja sedutor, mas os unanimismos acabaram com a ditadura de tão má memória, e tentar replicar práticas desse tempo é condenável.

Como condenáveis (e muito) são as ações que o Executivo Municipal liderado pelo Dr. Inácio Ribeiro em modo eleitoralista/campanha pré-eleitoral têm protagonizado: a invocação de realização de obras que não são suas (apresentar como exemplo de capacidade de realização a construção de Centros Escolares que foram como se sabe iniciativa de Executivos liderados por Fátima Felgueiras); a apresentação de intenções de obras a 2 meses do ato eleitoral (exemplo a construção de três parques desportivos em três freguesias); a utilização de fundos públicos municipais para semear outdoors apresentado intenções de obras e de milhões disponíveis unicamente com único sentido propagandístico-eleitoralista; a colocação de uma primeira pedra com uma placa mentirosa no futuro Parque da Cidade de Felgueiras, assinalando a compra da primeira parcela de terreno, de um conjunto de parcelas que nem se sabe quantas, porque ainda não existe sequer projeto! Não é por acaso que esta iniciativa é já um dos tesourinhos das autárquicas 2017 em Felgueiras pelo ridículo que representa, pela ridicularização a que foi sujeita esta tentativa propagandística!

Tudo isto são exemplos de mandatos falhados, de adiamento de um concelho a que o PSD do Dr. Inácio Ribeiro condenou Felgueiras, mas um Executivo que no que diz respeito ao ano de 2016 foi o 8.º município (em 308) com maior aumento de receita de cobrança de IMI. Recorde-se que em 2016 o Executivo PSD “amigo das famílias” aumentou a taxa de Imposto Municipal sobre Imóveis para 0,35% penalizando desta forma as famílias proprietárias de habitação própria, aumentando a receita municipal deste imposto em mais de 300 mil euros comparativamente a 2015!…

Contudo, escolhe-se para mote de campanha: “No Caminho Certo”! Como é que que alguém pode afirmar que está no caminho certo quando se tem revelado incapaz de elaborar um dos planos estratégicos mais importantes para o concelho, para a estratégia de desenvolvimento do município (pelo impacto que tem em várias áreas), como é o Plano Diretor Municipal.

Isto faz-me lembrar Alice no País das Maravilhas quando encontra o gato e lhe pergunta sobre qual o caminho que deve seguir. O gato devolve a pergunta, questionando para onde quer Alice ir. Como Alice responde que não sabe, o gato responde: “então não importa o caminha que escolhas!”… Deve ser esta a base para a escolha do slogan de campanha do Dr. Inácio Ribeiro! Sem objetivo, sem estratégia, qualquer caminho é certo! Errada e penalizadoramente certo!…

Top