“… a caravana passa!”

O momento de escolha dos eleitores está muito próximo, mas o debate politico sobre os assuntos que verdadeiramente deveriam interessar nestas autárquicas de 2017, pelo impacto que têm na vida quotidiana dos felgueirenses, e no futuro do concelho, continuam arredados. Aliás, discussão político pré-eleitoral é algo que não tem de todo existido, tal como já escrevi sobre Marketing de “fachada” (http://www.expressofelgueiras.com/marketing-de-fachada/).

Esta constatação é ainda mais evidente, tristemente evidente, em dois momentos politicamente marcantes em que a Oposição que pretende ver sufragado os seus projetos para Felgueiras optaram pelo alheamento e pela ausência. Vejamos: há menos de uma semana o Dr. Inácio Ribeiro (que merece obviamente em minha opinião uma avaliação negativa pelo mandato que agora termina) concedeu uma “Entrevista de Mandato” ao Expresso de Felgueiras (http://www.expressofelgueiras.com/entrevista-de-inacio-ribeiro-para-assinalar-fim-deste-mandato-autarquico/) onde procurou defender o seu posicionamento e a “sua obra” de 2013 a 2017. Obviamente, trata-se da visão de quem “advoga em causa própria”, com vários pontos politicamente contestáveis (ex.º Plano Diretor Municipal, Adesão à Fundação de Serralves, aproveitamento dos Quadros Comunitários, criação de nova empresa municipal para a área do ambiente, etc.) e em que o Presidente de Câmara reconhece que no próximo mandato é que será, ao dizer: “O próximo mandato será de consolidação, de realização e materialização dos sonhos que marcarão o futuro de Felgueiras”! Ou seja, só no último terço de 12 anos a que poderá aspirar realizar é que o Dr. Inácio Ribeiro pretende passar a uma nova forma de atuação!…

… Mas, sobre esta entrevista, sobre o balanço de mandato do Executivo PSD liderado pelo Dr. Inácio Ribeiro nem uma opinião pública expressa pelas candidaturas que o “desafiam” nestas Autárquicas/2017, para contrariar e rebater! É sintomático!… Qualquer uma das candidaturas opositoras deveria ter promovido uma discussão pública sobre as ideias vertidas nesta entrevista, rebatendo e promovendo as propostas do seu Manifesto Eleitoral, mas nenhuma o fez!

Como também não “disse presente” na última Sessão Ordinária da Assembleia Municipal, demonstrando claramente o desinteresse pelo que se discutiu neste orgão autárquico, em que vários assuntos discutidos transitarão inevitavelmente para o próximo mandato. Esta “falta de presença” é grave, mais ainda porque não ouviu o posicionamento sobre: a execução do Orçamento Participativo Jovem, sobre o Parque da Cidade, sobre a nova empresa municipal do ambiente, sobre os impostos, sobre a adesão à Fundação de Serralves, sobre o PDM, sobre o novo Cemitério de Felgueiras…

De facto a expressão diz que “os cães ladram e caravana passa”, ou como disse José Mourinho “the dogs bark and the caravan goes by”, mas em Felgueiras, no dossier Autárquicas parece que apenas a caravana passa, e só a de uma candidatura. Infelizmente!