A Nossa Participação

Não é por acaso que nesta primeira vez que escrevo vos venho falar, justamente, de Participação e, sobretudo, da importância de Participar.

 

Nos tempos que correm, infelizmente, temos assistido a um gradual aumento do distanciamento das pessoas do interesse comum, não vou discutir, pelo menos desta vez, de quem é a culpa deste distanciamento, interessa-me mais falar sobre a importância de diminuirmos este distanciamento e que cada um de nós assuma alguma responsabilidade daquilo que é comum.

Há 47 anos lutávamos pela liberdade de participar, hoje, paradoxalmente, esquecemo-nos recorrentemente de o fazer. Aliás, uns não esqueceram, adotaram foi uma forma de participação mais virtualizada, mas que na minha perspetiva nada tem contribuído para a resolução dos problemas reais, estes, ainda e só, se resolvem “indo para o terreno”!

Hoje, e por razões óbvias, é o Dia da Democracia, o dia a partir do qual ficamos livres para participar. Torna-se, portanto, imperioso recordar para não esquecer aquilo por qual tanto lutamos.

É importante relembrar ainda que a democracia não se defende unicamente em período eleitoral nem se luta por ela apenas e só de 4 em 4 ou de 5 em 5 anos. A Democracia é a Participação, quando participamos lutamos pela democracia.

Esta luta tem de ser diária e é feita na rua, nos cafés e restaurantes, nas associações de pais, nas organizações juvenis… E é inequivocamente nestes locais que ela tem mais impacto. Desta forma, honramos aqueles que lutaram para que isso fosse possível. A Democracia é a luta para melhorar o que já existe!

Neste primeiro texto, agradeço a toda a equipa do Expresso de Felgueiras e em especial ao Armindo Mendes o convite e a oportunidade de também aqui, e nem por acaso, poder participar com a minha opinião livre.

Terminando, amanhã e de hoje em diante não se esqueçam de Participar. Ainda depende de nós!

Viva a Liberdade, sempre!