Adega de Amarante prevê menor rendimento dos viticultores este ano

Os produtores de vinho verde em Amarante terão este ano quebras no rendimento devido aos custos acrescidos provocados por doenças nas vinhas e à necessidade de prolongar as vindimas, previu hoje o presidente da cooperativa agrícola.

 

Segundo António Barbeitos, ocorreram focos de doenças, alguns dos quais intensos, que obrigaram a mais tratamentos, com custos associados para os viticultores.

A pandemia de covid-19 tem, por outro lado, obrigado a prolongar por mais dias as vindimas, que decorrem por esta altura na região, para garantir maior distanciamento entre as pessoas, situação que se traduz em mais despesa, anotou o dirigente, aludindo ainda à necessidade que houve de aquisição de equipamentos e produtos de higiene que assegurassem maior segurança dos trabalhadores nos vinhedos.

Este ano também tem havido mais dificuldade no recrutamento de mão-de-obra para as vindimas, devido ao receio que muitas pessoas têm apresentado, sobretudo as que apresentam idades mais avançadas, em contexto de pandemia de covid-19.

Apesar das dificuldades, para o presidente da Adega Cooperativa e Amarante, estão garantidas as condições para a produção ser até ligeiramente superior à do ano passado, em termos quantitativos, mantendo-se a “boa qualidade” das uvas.

Em declarações à Lusa, António Barbeitos indicou que o preço a pagar aos produtores associados da adega (cerca de uma centena) vai ser de 48 cêntimos por cada quilograma de fruto, em termos médios, portanto, semelhante à campanha do ano passado.

Esse anúncio, acentuou, contraria os rumores que corriam na região que apontavam para uma diminuição do valor a atribuir aos viticultores.

Este ano a produção naquela adega da região dos vinhos verdes deverá atingir as 700 toneladas, mais 15% do que em 2019, precisou, prevendo também o escoamento da totalidade do produto.

O dirigente disse acreditar que as vendas de vinho verde não vão sofrer, em termos gerais, quebras nos mercados interno e de exportação, de acordo com a tendência que se tem observado nos últimos meses.