Adiado!…

Infelizmente é assim que o Executivo PSD decide manter o concelho de Felgueiras: adiado! Não se realiza investimento público no concelho para colmatar as necessidades prementes de infraestruturas (rodoviárias, equipamentos, etc.). Não se decide nada, como é exemplo maior a não decisão do Dr. Inácio Ribeiro e dos seus vereadores da maioria PSD que governa o concelho de Felgueiras desde 2009 sobre o Plano Diretor Municipal (PDM), decidindo recentemente aprovar o adiamento por mais um ano da 1.ª revisão deste plano absolutamente necessário pela sua natureza fundadora dos princípios de organização do território ao nível da ocupação do solo, o que significa que o PDM em vigor no concelho de Felgueiras é ainda a versão original com mais de 20 anos, completamente desadequeado da realidade. Só para contexto, quando o PDM entrou em vigor era Presidente da Câmara Municipal de Felgueiras, Júlio Faria…

Em todo o Norte do País apenas 4 ou 5 autarquias ainda não concluiram a revisão dos seus PDM, sendo Felgueiras um mau exemplo na região, onde alguns municípios começam a dar passos para a 2.ª revisão!

Existem várias razões para este adiamento da revisão do PDM, mas nenhuma delas é boa para Felgueiras: uma é a manifesta falta de capacidade para assumir a estratégia do município a médio e longo prazo; outra é incapacidade de decisão; outra é a falta de competência; e outra é o momento. Sim, o facto de este ser ano de eleições autárquicas lá para novembro. É reconhecido que do ponto de vista eleitoral este é um timing “desapropriado” para decisões que inevitavelmente causarão desagrado em determinadas/largas franjas da população que não vejam satisfeitas as suas pretensões na revisão do PDM. Só que convém acrescentar, também, que só um executivo frágil, temeroso e irresponsável é que adia decisões estrategicamente tão importantes para o concelho por taticismo político-eleitoralista! É público e notório: que o Executivo do PSD na autarquia está frágil e dividido, que a estrutura política do PSD está dividida,que o Dr. Inácio Ribeiro é a cada dia que passa um líder mais intranquilo… Só assim se justifica, que perante as perguntas que lhe são colocadas pela Oposição nem uma palavra, nem um comentário, nem um esboço de exercício de contradição, optando apenas por “ordenar” que se vote o ponto e se passe ao assunto seguinte! São muitos os munícipes, que vêm os seus investimentos particulares ou empresariais ao nível da construção adiados por este contínuo adiamento do munícipe! Ainda recentemente ouvi o Presidente da Junta de Freguesia de Airães – Vítor Vasconcelos (eleito nas listas do PSD e militante laranja incontornável e que está afastado da estrutura local) referir que é absolutamente necessário concluir a revisão do PDM para desbloquear muitas situações na sua freguesia… Uma situação repetida em 31 outras deste nosso concelho…

Sinceramente acredito que esta situação não agrada a ninguém, e espero sinceramente que seja penalizadora eleitoralmente para quem tem a responsabilidade de gerir um município e não timings eleitorais. Mas sinceramente, sempre que abordei o tema na Assembleia Municipal, mediante as não respostas do Dr. Inácio Ribeiro nunca acreditei que a revisão fosse acontecer (o que se comprova), apesar do mediatismo de sessão pública e outdoors para divulgação do cronograma, da contratação de equipas externas para auxiliar na revisão, de a autarquia ter gasto mais de 70.000 euros em 2016, e da inscrição de quase 90.000 no Orçamento do Município para 2017 afetos à revisão do PDM… Quer isto também dizer que o custo inicial do projeto de revisão que assim sendo só terminará em 2018 vai implicar também gastos acrescidos para os cofres camarários?…

Perante um concelho adiado, é significativo e notório o descontentamento na opinião pública felgueirense com a inação do Executivo do PSD, e por isso nada de estranho quando um movimento nascido na sociedade civil como é o Primeiro MIC decide anunciar que está disposto a um acordo para as autárquicas com o Partido Socialista, que é de facto neste momento a alternativa pelo trabalho que os seus eleitos têm feito nos orgãos autárquicos, do Executivo às Juntas de Freguesia, marcando quotidianamente a agenda política no concelho. Ou seja, enquanto que várias vozes (principalmente as do PSD) sempre questionaram a coesão no PS/Felgueiras, agora assiste-se a um movimento disposto a juntar forças, enquanto que o PSD publicamente se divide! Sem dúvida que o significado político é muito relevante para os eleitores felgueirenses. Tão relevante quanto o “contar de espingardas” no PSD e a estratégia de ataque do mesmo (dos seus quadros e boys militantes) a pessoas do PS. Quem os viu tão confiantes, e os vê agora…