Albergaria Espanhola!

A militância em estruturas político-partidárias, ou seja, a militância em partidos (organizações fundamentais para a organização e sustentabilidade de regimes democráticos e de participação ativa organizada na sociedade) não pode ser feita com base em interesses temporais e contingenciais, na maior parte das vezes para gestão de acesso, manutenção e controlo de poder! A militância em qualquer partido político deverá ser feita com base não apenas na aceitação (que pode ser cínica) mas na comunhão de ideias, princípios, e ação, e não em movimentos contingenciais como escada – ou trampolim -, para a chegada e manutenção no Poder, por mais que a adesão massiva de novos militantes até seja muito atrativa em determinado momento para as estruturas políticas (locais, concelhias, e nacionais) pela visibilidade que lhes permitirá ter, e pelos consequentes benefícios de representatividade! Só que, esta presença não ideológica, não programática, significa que, no curto prazo, as listas de militantes voltarão à sua forma original, ao “banho de realidade”! Em conclusão: as estruturas político-partidárias não se podem transformar contingencialmente em Albergues Espanhóis!

A expressão Albergue Espanhol remonta à Idade Média desde que, na Galiza, foi descoberto o sepulcro do Apóstolo Santiago. Desde então, como todos sabemos, são milhares os peregrinos que percorrem os Caminhos de Santiago, alojando-se em albergues situados propositadamente ao longo do percurso, onde cabia de lá tudo um pouco: dos peregrinos hóspedes aos próprios animais de que se faziam acompanhar, e ainda os respectivos “carregos”. Na política uma das primeiras vezes em que o termo Albergue Espanhol surgiu associado a esta foi nos movimentos de apoio à eleição e reeleição presidencial de Mário Soares, devido à abrangência de alianças envolvidas: da esquerda à direita, católicos e ateus, membros da Maçonaria e da Opus Dei, socialistas, comunistas, sociais-democratas, democratas-cristãos, marxistas e anti-marxistas. Só que o apoio a uma eleição para um cargo presidencial, não pode ser confundida com a militância num partido político! Se bem se recordam o PCP “apoiou” Mário Soares, com o famoso apelo ao voto de Álvaro Cunhal em Soares com os olhos tapados, sem que isso significasse qualquer divergência militante.

Como muitos se lembrarão, nestas crónicas, sempre manifestei a minha preocupação sobre o caminho que o Partido Socialista/Felgueiras iria tomar após ter integrado a coligação Sim, Acredita nas autárquicas de 2017, pois existia um risco iminente e claro de a estrutura concelhia ser capturada e dominada pela movimento “independente” de Nuno Fonseca.

Como escrevi, existiam dois caminhos para o PS/Felgueiras: um de subjugação e dominância por parte do Executivo Municipal e outro de parceria e influência, sem que isso significasse qualquer ruptura e atropelo na ação municipal! Infelizmente, como a sequência de acontecimentos nestes dois anos de mandato comprovaram o caminho foi e será de subjugação e dominância.

Bem sei que é comummente referido que a política é a arte do absurdo, mas não precisa de ser obrigatoriamente non-sense e irresponsável! Os líderes, representantes máximos da estratégia das estruturas que lideram pela sua ação são o exemplo, e é revelador que o atual (e próximo) Presidente da Comissão Política do PS/Felgueiras seja “apenas” secretário da estrutura de vereação na Câmara Municipal de Felgueiras. Uma vez que não integra o executivo, deveria estar representado na estrutura do Presidente de Câmara, assessorando e influenciando as políticas locais, e não reportando aos vereadores… Recordando que a estrutura local do partido, que será eleita brevemente, terá a responsabilidade de definição da estratégia e aprovação dos candidatos nas Eleições Autárquicas de 2021.

Quanto à lista de militantes nenhuma surpresa nas conversões temporárias, contingenciais, interessadas, familiares… Já Mário Soares disse que “só os burros não mudam”! Veremos por quanto tempo as mudanças ideológicas e programáticas se manterão ativas!

Feliz Ano Novo!