Aluna do ESTG cria manual para ajudar população em caso de cheias em Amarante

FOTO: Armindo Mendes

Uma aluna finalista do mestrado em Gestão Integrada da Qualidade, Ambiente e Segurança da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Politécnico do Porto, criou um manual que ajuda as populações ribeirinhas de Amarante a atuar em caso de cheias.

No trabalho intitulado “A relevância da perceção e da mitigação do risco de inundação nas zonas ribeirinhas do rio Tâmega na cidade de Amarante”, Sílvia Sotelo, avaliou o nível de perceção do risco de inundação dos comerciantes e habitantes da zona ribeirinha da cidade de Amarante e promoveu a implementação de medidas para minimizar os prejuízos em que incorrem nos momentos de cheias.

O Manual de Boas Práticas criado vai servir como instrumento de informação e formação para a população residente na zona de risco de inundação e define a constituição e modo de atuação de um grupo de voluntários para auxiliar essa população na remoção atempada dos bens do interior dos estabelecimentos e habitações.

Sílvia Sotelo apresenta o trabalho final de curso quarta-feira, pelas 11:00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Amarante,

A questão da prevenção das cheias é uma das prioridades do Município de Amarante, uma vez que estes episódios têm sido verificados ao longo dos tempos, causando grandes transtornos aos comerciantes e habitantes da zona ribeirinha e à população da cidade, como aconteceu, no início do ano de 2018, em que o caudal do Rio Tâmega subiu de forma acentuada.