Análises ao rio Vizela indicam que estação de tratamento de Serzedo é foco poluidor – autarca

Vítor Hugo Salgado reafirmou hoje que todos os dados atualizados sobre a situação têm sido encaminhados para a presidência da República, recordando que a câmara recomendará o boicote às eleições presidenciais se até lá não for resolvido o problema da poluição no Vizela | FOTO: ARMINDO MENDES

Análises realizadas ao rio Vizela indicam que a estação de tratamento (ETAR) de Serzedo está a contaminar a água e isso vai ser comunicado às instâncias europeias, anunciou hoje o presidente da câmara, Vítor Hugo Salgado.

 

“O tratamento não está a funcionar bem e as águas saem poluídas”, afirmou.
Segundo o autarca, os resultados das análises realizadas em julho às amostras captadas à saída da estação de tratamento de águas residuais de Serzedo, no concelho e Guimarães, alguns quilómetros a montante da cidade de Vizela, indicam valores acima do permitido, em termos microbiológicos e químicos.
“Não são cumpridos os padrões da legislação e estão para além da responsabilidade de uma ETAR”, afirmou, numa conferência de imprensa realizada numa das margens do rio, em Vizela.
Criticando a postura do Governo neste processo, referiu que os resultados vão seguir para as instâncias europeias, nomeadamente a Agência Europeia do Ambiente e comissário do Ambiente, acompanhados de vídeos e fotografias que mostram os resultados das alegadas descargas poluentes efetuadas por aquele equipamento.

imagem poluição rio Vizela
FOTO: ARMINDO MENDES

“Estas imagens só acontecem num país do terceiro mundo”, comentou, quando era exibido um vídeo da autarquia que mostrava a coloração avermelhada da água, segundo a autarquia, à saída da ETAR, em contraste com as águas limpas a montante daquele equipamento.

Análises põem em causa a Águas do Norte

Vítor Hugo Salgado reforça que os dados reunidos a partir dessas amostras “põem e causa” a recente posição da empresa de capitais públicos, Águas do Norte, que gere o equipamento, segundo a qual a ETAR tem estado a funcionar sem quaisquer anomalias, cumprindo as exigências ambientais.
Por isso, acrescentou o edil, as análises e o demais material que a autarquia tem reunido em conjunto com outras entidades “vão consolidar” nova queixa-crime contra a empresa, porque, reforçou aos jornalistas, “o que se passa é algo inadmissível e inaceitável num país da União Europeia”.

Vítor hum salgado conferência de imprensa Rio Vizela
FOTO: ARMINDO MENDES

Na conferência de imprensa, o presidente anunciou novas medidas no âmbito da estratégia da autarquia para pôr cobro à poluição naquele afluente do Ave, destacando a convocação de uma vigília à porta da estação de tratamento, agendada para quarta-feira.
O autarca informou que serão disponibilizadas centenas de velas para, a partir do fim da tarde daquele dia, as pessoas acenderem junto à ETAR, sinalizando “simbolicamente o seu protesto”.
A ideia será evitar a aglomeração no local de um grande número de pessoas, devido às questões da pandemia de covid-19, observou.
Outra medida hoje anunciada é a realização de um estudo sobre o impacto da ETAR no ecossistema do rio Vizela, envolvendo a Universidade de Aveiro”, para, sinalizou o presidente, “reforçar os fundamentos científicos e técnicos” da posição que a câmara tem defendido, quando imputa responsabilidades à Águas do Norte na poluição do rio.

Petição para assunto ser discutido na Assembleia da República

O município vai, também, dinamizar uma petição pública para parlamento, através da comissão do ambiente, realizar um debate subordinado ao tema “Salvar o Rio Vizela”, com a participação do ministro do Ambiente e de representantes da autarquia, da Águas do Norte e da GNR, através do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA).

Pormenor da ETAR de Serzedo | FOTO: ARMINDO MENDES (DIREITOS RESERVADOS)
Pormenor da ETAR de Serzedo | FOTO: ARMINDO MENDES (DIREITOS RESERVADOS)

Vítor Hugo Salgado reafirmou hoje que todos os dados atualizados sobre a situação têm sido encaminhados para a presidência da República, recordando que a câmara recomendará o boicote às eleições presidenciais se até lá não for resolvido o problema da poluição no Vizela.
Segundo o autarca, a construção de um emissário que permita efetuar as descargas numa zona do rio com maior caudal, que poderá custar cerca de cinco milhões de euros, seria uma solução técnica para o problema.
A conferência de imprensa terminou com o potente som de uma sirene, que se costuma ouvir nos quartéis de bombeiros, que o presidente da câmara recordou ter sido usado na luta pela criação do concelho de Vizela, há algumas décadas.

O som da serene foi aplaudido de pé pelos autarcas e por alguns populares que estavam no local | FOTO: ARMINDO MENDES
O som da serene foi aplaudido de pé pelos autarcas e por alguns populares que estavam no local | FOTO: ARMINDO MENDES