Associação com núcleo em Felgueiras apoia refugiados e imigrantes

Educar para os direitos do homem, fomentar o multiculturalismo, integrar e apoiar os imigrantes e refugiados são alguns dos objetivos da associação “Coragem Disponível”, um grupo criado em outubro do ano passado, também em Felgueiras, para apoiar os que fogem do seu país e que, diariamente, chegam à Europa.

Numa altura em que a questão dos refugiados se tornou tema central na sociedade, o país mobilizou-se e colocou mãos à obra. Foi o caso deste grupo de cidadãos que conta atualmente com três núcleos – Felgueiras, Porto e Lisboa.

Em Felgueiras, são já mais de 20 os elementos que compõem a associação.

A responsável pelo núcleo, Natália de Almeida, não tem dúvidas que estas associações são essenciais para mudar mentalidades.

“A Coragem Disponível surgiu há cerca de cinco meses e tem como prioridade quebrar barreiras. As pessoas têm medo da vaga de refugiados que chega diariamente à Europa, mas que fique claro que ninguém perde a identidade por viver com a cultura dos outros”, explicou a responsável, revelando que, na Escola Secundária de Felgueiras, serão lecionadas aulas de árabe para quem quiser aprender um pouco mais.

Associação Coragem Diponível

Relativamente ao trabalho realizado no concelho, foi já efetuada uma campanha de recolha de roupa e calçado, entretanto enviada para os campos da Grécia, Macedónia e Croácia.

“Os felgueirenses são muito solidários. Fizemos uma campanha de recolha de roupas e calçado e, em menos de 48 horas, conseguimos 60 caixas de grandes dimensões”, lembrou.

Mas as ações da associação não se ficam por campanhas de recolha de bens.

Com objetivo de educar para os direitos humanos, desde a sua fundação que a Coragem Disponível tem vindo a organizar tertúlias e debates para esclarecer sobre as diferenças culturais e religiosas.

No próximo mês, será a vez de Felgueiras debater essas questões. Com a ajuda do “Ser Mais”, um grupo de jovens da Escola Secundária de Felgueiras, vai ser organizada uma conferência/debate, com o objetivo de esclarecer dúvidas sobre a questão dos refugiados e imigrantes que estão a chegar à europa em debandada.

“Já no próximo mês, teremos um debate na Escola Secundária, em que contaremos com a presença de refugiados, muçulmanos, asilados, de forma a mostrar quem são estas pessoas e porque é que procuram a europa para viver”, explicou Natália Almeida, que aproveitou para destacar a importância destas associações a nível local.

“Este tipo de associação a nível local faz todo o sentido, porque a maioria das pessoas desconhece os problemas do mundo. As conversas com estas pessoas servem, acima de tudo, para desmistificar vivências, independentemente do credo de cada um. ”.

A associação já esteve presente num campo de refugiados na Grécia, local onde devem regressar com mais ajuda, já em fevereiro e março.

Associação Coragem Diponível 2

“Estamos já a trabalhar para, nos próximos dois meses, voltarmos à Grécia e ajudarmos aquelas pessoas que tiveram de fugir de suas casas. Neste conjunto de voluntários, vamos contar com vários felgueirenses que não ficam alheios a estes problemas e querem ajudar”, disse Natália de Almeida.

A responsável pelo Núcleo de Felgueiras da associação Coragem Disponível revelou ainda que, a 27 de fevereiro, vai realizar-se uma marcha em vários pontos de Portugal e Espanha, no sentido de alertar para a necessidade de acolher estas pessoas que tiveram de deixar a sua vida num país longínquo.

“Hoje continuam a chegar milhares de refugiados à europa e parece que os países estão cada vez mais reticentes no acolhimento destas pessoas que deixaram as suas terras com medo da guerra. Queremos com esta marcha de fevereiro, alertar para a necessidade do acolhimento destas famílias, destas pessoas que são iguais as nós, apenas não tiveram a mesma sorte”, lembrou.

Recorde-se que a Grécia recebeu mais de um milhão de refugiados e imigrantes. A maioria dos que aportaram no país segue depois para os Balcãs, rumo à Áustria, Alemanha, Suécia, entre outros países.