Autarquia da Lixa está contra a desagregação da união de freguesias

“Uma autarquia mais forte na Lixa terá ainda mais condições para realizar aquilo a que todos os lixenses têm direito”, observou à agência Lusa o presidente da assembleia

A Assembleia da União de Freguesias de Vila Cova da Lixa e Borba de Godim, a segunda maior de Felgueiras, aprovou uma proposta que se opõe à desagregação das duas antigas freguesias, segundo fonte autárquica.

 

O presidente da assembleia de freguesia, José Carlos Lopes, disse à Lusa que a proposta apresentada pela coligação PS/Livre, maioritária naquele órgão, incluía também a pretensão de se avançar para a agregação, à atual autarquia, que foi criada em 2012, de mais duas uniões de freguesias contíguas, nomeadamente Macieira da Lixa/Caramos (PS/Livre) e Vila Verde/Santão (PS/Livre).

 

 

Aquele eleito socialista sublinhou que a aprovação é “um momento histórico de afirmação e união da cidade da Lixa, acima dos partidos, como há muito não se via”.

Segundo aquela proposta, que foi aprovada por unanimidade, a eventual agregação com as localidades vizinhas constituirá “uma mais-valia” para a população, traduzindo-se em “ganhos de eficácia e eficiência, com a melhoria da prestação de serviços”.

“Uma autarquia mais forte na Lixa terá ainda mais condições para realizar aquilo a que todos os lixenses têm direito”, observou o presidente da assembleia.

A União de Freguesias de Vila Cova da Lixa e Borba de Godim, atualmente com cerca de 5.800 eleitores, correspondendo ao núcleo central da cidade da Lixa, é a segunda maior do concelho de Felgueiras, no distrito do Porto.

Se avançar a agregação com as uniões de freguesias de Vila Verde/ Santão e Macieira da Lixa/Caramos, o número total de eleitores aumentará para cerca de 10.600.