BAIÃO: Município reúne valências sociais e cria alojamento de emergência social

A Câmara de Baião criou um espaço que facilita o acesso dos munícipes a serviços sociais, que integra um alojamento de emergência social, destinado a apoiar transitoriamente famílias vulneráveis, informou fonte da autarquia.

Designado de “Campus Social”, o espaço foi inaugurado na quinta-feira, na rua Comandante Agatão Lança (vila de Baião).

No “Campus Social” funcionará o Gabinete de Apoio à Família (GAF), que disponibiliza os serviços de apoio social da autarquia, nomeadamente a Linha Amiga, o Fundo Social de Baião ou o Centro de Recursos de Apoio à Família, entre outros. O GAF presta ainda apoio psicológico e encaminhamento jurídico aos cidadãos.

No domínio do apoio ao desempregado, o “Campus Social” irá possuir duas valências, o Gabinete de Inserção Profissional e o Posto de Atendimento ao Desempregado, ambos resultantes de parcerias com o Instituto de Emprego e Formação Profissional.

“Quem se deslocar ao “Campus Social” poderá ainda recorrer aos serviços do Centro de Informação Autárquica ao Consumidor (CIAC), cuja criação em Baião foi contratualizada com a Direção Geral do Consumidor”, refere a autarquia em comunicado.

Outra parceria, estabelecida com a Direção Geral dos Serviços Consulares, permitiu a criação do Gabinete de Apoio ao Emigrante (GAE), que irá transitar das atuais instalações para aquele espaço.

O Núcleo Local de Inserção Social (serviço da Segurança Social) e a Rede Social de Baião terão também a sua sede no “Campus Social”.

A partir de hoje, entrará em funcionamento o alojamento de emergência social, que permitirá o acolhimento, por períodos máximos de 72 horas, de famílias até quatro pessoas. Este serviço camarário funcionará em articulação com entidades que têm responsabilidade em matérias como a infância, a juventude, o apoio à vítima, ou as autoridades policiais, entre outras, seguindo-se o necessário encaminhamento formal.

Ao criar o “Campus Social” a Câmara Municipal de Baião pretende “adotar uma abordagem mais eficiente e que garanta o serviço mais completo possível aos cidadãos”, explica a vice-presidente, responsável pelo pelouro dos Assuntos Sociais, Ivone Abreu, citada em comunicado.

O presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, refere que os serviços sociais são da maior importância, “em especial para os cidadãos que mais carecem do apoio do sector público”.

“Com esta nova organização de serviços irá proporcionar-se mais comodidade para os cidadãos e mais colaboração e sinergias entre os vários serviços”, enalteceu o autarca.

Para além da criação do “Campus Social”, a autarquia avançará, este ano, com a criação da Linha de Saúde Sénior, uma medida conjunta com a Unidade de Cuidados na Comunidade, do Centro de Saúde de Baião, destinada a proporcionar aconselhamento telefónico sobre questões de saúde aos cidadãos seniores do concelho.

Entre outras politicas socais a implementar, pela primeira vez este ano, contam-se a Via Verde Família – um programa de intervenção social e comunitária que visa apoiar as famílias mais vulneráveis, através da cedência de equipamentos, prestação de serviços e apoios pecuniários únicos e transitórios – e ainda o programa “Vi(ver) Baião”, que permitirá aos cidadãos seniores do concelho, redescobrir a beleza e o valor do património local.