Bombeiros combateram as chamas em 21 ocorrências desde domingo em Felgueiras

Lusa

 

O concelho de Felgueiras registou, desde as 00:00 de domingo, 21 incêndios florestais, que mobilizaram as duas corporações locais e colocaram em risco habitações em várias freguesias, avançou ao Expresso de Felgueiras fonte dos bombeiros.

Os incêndios mais significativos ocorreram no Monte de Santa Marinha, em Vila Verde e Aião, Belos Ares e Borba de Godim e Oleiros (Lagares).

De acordo com o comandante dos Bombeiros de Felgueiras, Júlio Pereira, dezenas de operacionais estiveram no combate às chamas e foram utilizados os veículos de combate a incêndios urbanos e industriais.

“Tivemos de mobilizar todos os meios possíveis dado o número de ocorrências”, disse.

Durante o combate às chamas, algumas habitações estiveram em risco, mas os bombeiros conseguiram evitar danos maiores.

“Em várias situações tivemos de abandonar o combate no monte para ir proteger casas que tiveram as chamas muito próximas”, contou Júlio Pereira, realçando que “graças à prontidão dos operacionais não houve danos maiores”.

Questionado sobre a origem dos incêndios, o comandante dos Bombeiros de Felgueiras refere que se trata de “negligência e irresponsabilidade das pessoas”.

“Existem terrenos ao abandono, estamos numa situação de humidade muito baixa e qualquer ignição se transforma num grande incêndio”, alertou.

Hoje, o dia tem estado mais calmo, sem incêndios ativos no concelho.

No combate às chamas, a corporação de Felgueiras ficou com dois veículos de combate a incêndios florestais inoperacionais.

“Hoje estamos a avaliar o desgaste e estragos em duas viaturas, uma delas ainda deverá regressar hoje ao quartel, a outra demorará mais tempo”, adiantou.

Os Bombeiros de Lixa, que também têm dois veículos inoperacionais, andaram no combate às chamas.

Vítor Meireles, comandante dos Bombeiros da Lixa, disse ao Expresso de Felgueiras que se tratou de uma “situação invulgar e nada normal para o número de ocorrências que a corporação tem em época normal de incêndios”.