Bombeiros de Felgueiras celebraram 121 anos com inauguração do novo quartel (C/FOTOS)

Os Bombeiros de Felgueiras assinalaram, no domingo, o 121.º aniversário e festejaram com a inauguração da remodelação e ampliação do quartel, obra há muito ansiada por aquele corpo de bombeiros.

 

Durante a manhã, e depois de uma missa comemorativa, celebrada pelo Bispo do Porto, D. Manuel Linda, no Santuário de Santa Quitéria, os Bombeiros de Felgueiras reuniram-se em formatura para receber as entidades oficiais.

Uma manhã de chuva, mas que não estragou a festa e a singela homenagem a 11 bombeiros do Quadro de Honra, daquela corporação, nem a bênção de duas novas viaturas, incluindo uma viatura do INEM, que irá melhorar a emergência.

As entidades oficiais foram devidamente recebidas, pelo comandante dos Bombeiros de Felgueiras, Júlio Pereira, marcando continência o presidente da Câmara de Felgueiras, Nuno Fonseca, o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, o segundo comandante Distrital, Albano Teixeira, o presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito do Porto, José Miranda, entre outras entidades.

 

 

Patrícia Gaspar, secretária de Estado da Administração Interna, marcou presença no evento e realçou o papel dos bombeiros e a capacidade dos operacionais nos teatros de operações.

“A intervenção dos bombeiros portugueses é reconhecida além-fronteiras”, disse.

A governante elencou algumas das medidas que a administração interna tem previstas para avançar, em parceria com a Liga dos Bombeiros Portugueses, “para melhorar a atividade, disponibilizar formação para os bombeiros, entre outros”.

Patrícia Gaspar endereçou os parabéns aos Bombeiros de Felgueiras e associou-se às preocupações dos dirigentes e autarcas do concelho em relação aos valores investidos na obra e à operacionalidade do corpo de bombeiros.

 

Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros de Felgueiras reclama apoios

Preocupações que Arnaldo Freitas, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros de Felgueiras enumerou e não deixou de alertar o Governo e as autoridades locais.

“Apoios ao voluntariado, melhoramento do seguro dos bombeiros, oferta de equipamento, etc, etc”, frisou, revelando: “há muito mais e a lista é comprida”.

Dirigindo-se à secretária de Estado, o dirigente questionou o “porquê do combustível para os bombeiros ser mais caro que o usado por um camião de transporte de mercadorias”.

“Não entendo porque não temos um regime especial”, considerou.

Em relação ao novo quartel, Arnaldo Freitas reforçou que “era um anseio de todos os felgueirenses, mas principalmente de quem faz desta casa uma segunda casa: o corpo de bombeiros, a direção e o comando”.

“Temos um quartel que todos merecem, com as melhores condições de operacionalidade”, disse.

O presidente da direção lembrou o decorrer das obras, “período que não foi fácil”, mas contornado com “o sentimento de dever cumprido”.

Agradecendo à Câmara de Felgueiras, pela cedência do terreno, onde se encontravam as instalações da escola profissional, Arnaldo Freitas lembrou os “500 mil euros investidos pela associação e apoio financeiro que ainda não aconteceu por parte da autarquia”.

 

Nuno Fonseca disse que a ampliação do quartel já custou à autarquia 750 mil euros

O presidente da Câmara de Felgueiras, Nuno Fonseca, respondeu às preocupações do presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros de Felgueiras, quando à falta de financiamento da autarquia, dizendo que “a obra já custou à Câmara Municipal 750 mil euros”.

“A Câmara Municipal doou o terreno, avaliado em 395 mil euros. Investiu 330 mil euros na deslocação da escola profissional e vai comparticipar a obra nunca por menos de uma centena de milhar de euros”, disse.

Nuno Fonseca realçou, por outro lado, que “não há dinheiro que o município dê aos bombeiros, que pague aquilo que eles fazem pela comunidade”.

BV Felgueiras - inaug quartel 9

O presidente da autarquia disse ainda que, a depender dele, “o quartel tinha sido construído de raiz, num local com maior operacionalidade”.

Perante um salão nobre cheio, Nuno Fonseca garantiu a “continuidade do apoio da autarquia às associações” e anunciou a realização da primeira gala dos bombeiros, que irá agraciar todos os operacionais do concelho.