Câmara investe 600 mil euros para requalificar ligação de Moure à autoestrada

A Câmara de Felgueiras anunciou hoje que vai iniciar, esta semana, a requalificação da entrada municipal que liga Moure a Macieira da Lixa, um dos principais acessos à autoestrada A11, representando um investimento de cerca de 600 mil euros.

 

Segundo o município, a estrada (conhecida como caminho 1184) vai ser alargada em alguns pontos e dotada de novo piso betuminoso e passeios.

“A requalificação prevista visa essencialmente melhorar as condições de circulação pedonal nesse troço, sem intervenções profundas no seu traçado longitudinal”, lê-se na memória descritiva do projeto, à qual a Lusa teve acesso.

Aquela obra é reclamada há décadas anos pela população, inclusive através das juntas de freguesia, devido à degradação do piso e ao facto de atravessar zonas com elevada densidade populacional.

A área de intervenção vai abranger as ruas da Igreja, de Simães (junto à escola primária), parte do Largo da Igreja e o arranque da rua do Calvário. A travessa do Covelo e a rua do Poder Local também serão requalificadas na empreitada.

A obra contempla, por outro lado, as infraestruturas de drenagem de águas pluviais, beneficiando da existência de passeios em pelo menos um dos lados do arruamento.

EStrada de Moure03
Foto de Arquivo

Em pontos onde há habitações nos dois lados do arruamento, condicionando o seu alargamento, está prevista a aplicação de uma faixa de 50 centímetros de calçada em cubo de granito, que serve de marca diferenciadora para condutores e peões.

Na rua de Simães, devido à existência de inúmeros carvalhos, não será possível o alargamento do arruamento para permitir a colocação de passeios. No entanto, as faixas serão dotadas de valeta diferenciada em cubo de granito.

Para aumentar a segurança entre veículos e peões, refere-se ainda na memória descritiva, foram previstas algumas medidas adicionais à sinalização, nomeadamente a instalação de guardas laterais de madeira.

O presidente da Câmara de Felgueiras, Nuno Fonseca, disse à Lusa que a empreitada era desejada há muito tempo pela população de Moure, Macieira da Lixa, Pinheiro e Caramos, entre outras localidades, devido à necessidade de garantir mais segurança para peões e automobilistas.

Trata-se, acrescentou, de uma estrada com um elevado volume de tráfego, porque também garante o acesso à autoestrada A11 para milhares de munícipes diariamente.