Cooperativa prevê menos produção de vinho verde mas maior qualidade

A campanha de vindimas na Cooperativa de Felgueiras, ainda em curso, deverá traduzir-se numa quebra de produção, face a 2015, que pode chegar aos 20%, mas a qualidade será superior, previu hoje fonte da direção.

A instituição assinala que a diminuição na quantidade de uvas é explicada pela perda de produção das vinhas mais antigas.

“As vinhas novas superaram a produção, mas as chuvas mais tardias não foram benéficas para as vinhas mais antigas”, frisou a fonte.

A campanha das vindimas arrancou no dia 21 de setembro e deverá prolongar-se até 08 de outubro. No final da primeira semana de vindimas, o balanço é “positivo”, destacando-se as “boas produções” das castas loureiro e alvarinho.

Em 2015, a cooperativa tinha batido o recorde de produção, com uma quantidade de uvas suficiente para 5,4 milhões de litros de vinho verde.

A Cooperativa Agrícola de Felgueiras é a maior da região do Tâmega e Sousa na produção de vinho verde, recebendo uvas de centenas de viticultores associados de vários municípios, nomeadamente Felgueiras, Lousada, Amarante, Fafe, Vizela, Celorico de Basto, Marco de Canaveses e Castelo de Paiva, entre outros.

Vinho-Verde-vindimas-cooperativa-de-Felgueiras1-1024x473

No pico das vindimas, nas instalações em Felgueiras, que corresponde aos últimos dias de setembro e princípio de outubro, verifica-se um movimento diário de cerca de 300 tratores e respetivos atrelados, o tipo de veículo utilizado pelos produtores no transporte das uvas para a instituição.

Aquela cooperativa exporta cerca de 30% da produção, sobretudo da sua principal marca “Terras de Felgueiras”.

Armindo Mendes/LUSA

C/Sandra Teixeira