Covid-19: 42 escolas do Tâmega e Sousa garantem refeições a alunos

Quarenta e duas escolas da região do Tâmega e Sousa estão abertas para garantirem o serviço de refeições a alunos carenciados e para acolher filhos de profissionais de saúde, anunciou hoje a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares.

 

Em Amarante, garantem o serviço a Escola Básica Amadeo de Souza Cardoso, em Telões, EB do Marão, e a Escola Secundária de Amarante.

Em Baião, estão abertas as escolas básicas de Eiriz, Vale de Ovil e do Sudeste de Baião.

No concelho de Castelo de Paiva, encontram-se abertas a EBS de Castelo de Paiva e a EB do Couto Mineiro do Pejão.

Em Celorico de Basto, garantem o serviço a EB da Mota, EB de Gandarela, EBS de Celorico de Basto e a Escola Profissional de Fermil, Molares, Celorico de Basto.

No concelho de Cinfães, estão abertas a escolas básicas de Souselo e General Serpa Pinto e a Escola Secundária Professor Doutor Flávio F. Pinto Resende.

Em Felgueiras, garante o serviço a Escola Secundária de Felgueiras.

Em Lousada, está aberta a Escola Secundária de Lousada.

No concelho do Marco de Canaveses são seis a escolas abertas, a Secundária de Alpendurada, a escola básica do Marco de Canaveses e de Sande, a Secundária do Marco de Canaveses, e as escolas profissionais de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Marco de Canaveses (EMAPC) e a de Arqueologia do Freixo.

Em Paços de Ferreira, o serviço é garantido pela Escola Secundária S. António Taipa, em Freamunde, a EB de Eiriz, EB de Frazão, EB de Paços de Ferreira e Secundária de Paços de Ferreira.

No concelho de Paredes, sete escola estão ao serviço, nomeadamente a EB 2,3 de Baltar, EB de Cristelo, EBS de Lordelo, EBS de Paredes, EBS de Sobreira, EBS de Vilela e Secundária de Paredes.

Em Penafiel, fazem parte da lista as escolas básicas D. António Ferreira Gomes, de Paço de Sousa, Penafiel Sudeste, EBS de Pinheiro e Secundária Joaquim de Araújo, em Guilhufe, e Secundária de Penafiel.

Em Resende, garante o serviço a Escola Secundária de Resende.

As quarenta e duas escolas da região fazem parte de uma lista de 800 escolas classificados como “escolas de referência para o serviço de refeições e acolhimento de filhos do pessoal hospitalar e de emergência”.

De acordo com a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares apenas podem continuar a ir à escola os filhos de profissionais de saúde e das forças de segurança que têm de ir trabalhar.