Covid-19: Câmara de Vizela adia referendo sobre feriado municipal (C/ÁUDIO)

Segundo Vítor Hugo Salgado, as análises vão começar a ser efetuadas na sexta-feira e prosseguirão na segunda-feira, a cargo de um laboratório contratado pelo município | FOTO; ARMINDO MENDES

O presidente da Câmara de Vizela anunciou hoje que foi suspenso o referendo ao feriado municipal que estava previsto para o dia 29 de março, devido à situação provocada pelo novo coronavírus.

 

Vítor Hugo Salgado explicou que a decisão já foi comunicada à Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Em conferência de imprensa, o autarca assinalou que a medida foi tomada para se evitar a concentração de pessoas que era aguardada para aquele dia e o receio de a mobilização dos munícipes poder propiciar alguma situação de contágio.

 

 

O presidente da câmara admitiu até que, “hipoteticamente, o processo tenha de ser recomeçado de raiz”.

“O que se verifica é que este referendo é muito importante para o concelho de Vizela. É para decidir uma questão muito relevante. Não faz sentido, num período em que existem várias pessoas em quarentena e isolamento, criar condições para fazer este referendo”, afirmou.

 

“ENCERRAMENTO DAS ESCOLAS EM VIZELA É TARDIA”

 

No encontro com os jornalistas, Vítor Hugo Salgado deixou críticas ao Governo por só agora ter anunciado o encerramento das escolas em todo o país, recordando que Vizela reclamava aquela decisão para o seu concelho há vários dias, sem ter obtido resposta.

FOTO: ARMINDO MENDES
FOTO: ARMINDO MENDES

Considerando o anúncio do Governo uma “decisão correta, mas tardia”, disse esperar que o tempo entretanto passado não tenha “causado danos para prejudicar a população do concelho de Vizela”.

Vítor Hugo Salgado reafirmou que Vizela faz fronteira com Felgueiras e Lousada, onde se localiza um dos principais surtos de Covid-19 em Portugal, não se compreendendo, acentuou, a razão que levou a tutela a fechar as escolas daqueles concelhos e não o ter feito em relação ao seu município. Reforçou, a propósito, haver escolas de Vizela que distam apenas quatro quilómetros de outras em Felgueiras que foram encerradas. Pelo meio deixou críticas à tutela da saúde por não facultar informações à autarquia sobre o que está a acontecer num concelho com cerca de 150 pessoas, incluindo crianças e professores, atualmente em isolamento, e onde há um caso confirmado de contágio.

Indicou, também, que o município iria determinar o encerramento dos estabelecimentos de ensino do concelho, a partir de segunda-feira, mesmo que o Governo não tivesse tomado aquela decisão para o todo o país, porque contava, desde quinta-feira, com o apoio de todas as entidades locais nos domínios da proteção civil e da educação, para além das juntas de freguesia.

Por outro lado, o presidente da câmara anunciou hoje novas medidas preventivas no âmbito do surto de novo coronavírus, destacando o cancelamento das cerimónias solenes do dia do concelho, que estavam agendadas para 19 de março, e o impedimento de frequência dos parques infantis.

O evento Fim de Semana Gastronómico também foi cancelado, mantendo-se também suspensa a realização da Feira do Bolinhol (especialidade local de pão-de-ló, que estava prevista para o período de 18 e 22 de março.

Além destas medidas, mantêm-se outras que já tinham sido anunciadas, nomeadamente o cancelamento das feiras semanais e o encerramento da biblioteca e espaço Internet.

Vítor Hugo Salgado deixou, também, um apelo para que sejam encerrados os ginásios e o cinema do concelho.

Armindo Mendes/LUSA