Covid-19: ESTG retoma a atividade letiva através de videoconferência

Escola Superior de Tecnologia e Gestão - foto ESTG

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Politécnico do Porto (P.PORTO) anunciou hoje que foi retomada a atividade letiva, assegurando as aulas em formato de videoconferência.

 

No comunicado, a instituição de ensino superior defendeu que “os estudantes não deverão ser prejudicados com a suspensão das atividades, mas que tudo se fará para minimizar as dificuldades”.

“Lembramos que a ESTG tem encerradas as suas instalações, desde segunda-feira, depois da presidente da Escola, Dorabela Gamboa, ter considerado prudente encerrar todos os locais onde existe atividade letiva, no seguimento da decisão da Direção Geral de Saúde em encerrar todas as escolas básicas, preparatórias e secundárias nos concelhos de Felgueiras e Lousada.

Durante estes dias de suspensão das aulas, a ESTG testou as tecnologias disponíveis para aferir a possibilidade de utilização na lecionação das aulas à distância.

Algumas aulas foram, já, realizadas através de videoconferência para servirem como teste.

“O feedback por parte dos docentes e dos estudantes foi muito positivo e como tal, a presidente da escola formalizou o início da lecionação por videoconferência de todas as aulas a partir de segunda-feira, dia 16 de março”, revela ainda o comunicado.

As aulas são lecionadas no respetivo horário da turma, seguindo-se as instruções dos respetivos docentes. O Centro de Informática da Escola dará o apoio necessário nas dificuldades encontradas, quer por parte dos docentes, quer por parte dos estudantes.

A ESTG, única instituição de ensino superior público na região do Tâmega e Sousa, tem cerca de 1.600 estudantes, sete licenciaturas, sete mestrados e sete cursos técnicos superiores profissionais, com atividade nas cidades de Felgueiras (campus 3 do Politécnico do Porto), Amarante e Lousada e Penafiel.

A escola refere, ainda, que irá manter “um olhar atento sobre o evoluir da situação na região, no país e no mundo, e preparamos as medidas necessárias para quando for possível retomar a normalidade”.