Covid-19: Festa das Camélias de Celorico cancelada mas instituições evocam o momento

Utentes de instituições sociais de Celorico de Basto estão com atividades que evocam a Festa das Camélias, realizada habitualmente em março naquele concelho, mas cancelada em 2020 e este ano devido à pandemia.

 

Ao longo desta semana, informa hoje aquela autarquia do distrito de Braga, seis instituições contam com uma programação de animação específica que tem como mote as camélias, plantas originárias do oriente que foram introduzidas no ocidente por navegadores e comerciantes.

As atividades, que envolvem centenas de utentes, intitulam-se “Semana Solidária” e incluem momentos de decoração, música e desfiles.

“As ações têm os utentes de cada instituição como intervenientes e visam promover o convívio e relembrar uma das festas mais coloridas e com maior intervenção da comunidade local que decorre neste concelho”, sublinhou o município.

 

 

A Festa Internacional das Camélias realizou-se por 16 vezes, a última das quais em 2019, com exposições, concursos e desfiles, entre outras atividades que envolvem escolas e instituições sociais, atraindo todos os anos dezenas de milhares de visitantes, incluindo apreciadores da Galiza, Espanha.

Este ano, devido à pandemia, o evento foi cancelado, o que já tinha acontecido em 2020.

Apesar disso, Associação de Solidariedade de Santo André de Codessoso avançou com a “Semana Solidária” e conta com a participação de outras instituições de solidariedade do concelho minhoto.

Marlene Silva, diretora da Associação de Solidariedade de Santo André de Codessoso, citada num comunicado da câmara municipal, assinala que estas atividades constituem “a forma de recordar uma festa que deixa saudades e, em simultâneo, dar ânimo aos utentes que, por razões sobejamente conhecidas, se encontram mais tristes”.

“Durante esta semana toda a programação terá as camélias como foco, desde a criação e colocação de elementos decorativos, os desfiles, a música, e muitas outras ações que irão, certamente, animar os utentes e dar-lhes a alegria que merecem”, acrescenta.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.671.720 mortos no mundo, resultantes de mais de 120,6 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.707 pessoas dos 814.897 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

 

APM // JAP

Lusa/Fim