Covid-19: Marco de Canaveses pede quarentena às centenas de emigrantes que regressam

A presidente da Câmara de Marco de Canaveses alertou hoje para o regresso, nos últimos dias, de centenas de emigrantes ao concelho e a necessidade de aquelas pessoas se submeterem a um período de quarentena voluntário, devido à Covid-19.

 

“Apelo à consciência cívica individual de cada um”, acentuou Cristina Vieira, em declarações à agência Lusa.

A autarca disse ter conhecimento, através de vários empresários, da chegada a Marco de Canaveses de “centenas de pessoas”, maioritariamente trabalhadores da construção civil que exercem atividade em países europeus onde se registam surtos de novo coronavírus, como Espanha, França e Suíça.

Dizendo-se preocupada com a situação, a autarca refere não se saber se aqueles trabalhadores estão ou não infetados e que, por isso, se devem submeter voluntariamente a um período de quarentena, de acordo com uma orientação da autoridade local de saúde, a qual, anotou a autarca, também está a acompanhar a situação.

O apelo à população está a ser lançado por vários meios, envolvendo ainda os presidentes de junta “que conhecem bem o território”.

Cristina Vieira deixou também um pedido às empresas de transportes para que redobrem os cuidados e sensibilizem as pessoas para a necessidade de se submeterem à quarentena.

O número de infetados pelo novo coronavírus subiu para 642, mais 194 do que os contabilizados na terça-feira, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim sobre a situação epidemiológica de Covid-19 em Portugal, divulgado hoje às 12:00, desde 01 de janeiro foram registados 5.067 casos suspeitos.

Segundo a DGS, há 351 (eram 323) casos a aguardar resultado laboratorial e três casos recuperados.

APM (SO)//LIL

Lusa/fim