Covid-19: PSD/Felgueiras pede ao Governo apoio excecional à industria e comércio

O PSD de Felgueiras escreveu hoje ao ministro da Economia a pedir a “a aprovação imediata de medidas excecionais de apoio à indústria e ao comércio felgueirenses” devido ao “surto de coronavírus” no concelho.

 

“Perante a constatação da propagação local deste vírus, que levou ao encerramento, por parte da Direção-Geral da Saúde [DGS], de escolas e outros estabelecimentos públicos, estamos muito apreensivos com as consequências económicas nefastas que advirão a muito breve prazo”, alerta o PSD de Felgueiras, na carta que enviou ao ministro Pedro Siza Vieira e que divulgou à comunicação social.

O PSD de Felgueiras receia que “muitas empresas não tenham capacidade de cumprir com exigências de produção” devido à “identificação de muitos casos particulares de contaminação pelo coranavírus e o eventual encerramento de empresas para cumprimento de protocolos de quarentena sanitária”.

Para os social-democratas, a eventual falta de resposta de empresas pode obrigá-las a “terem de repensar a emergência de financiamento de prejuízos”.

“Saberá, certamente, que, no caso concreto do setor do calçado, de que temos sido valorosos contribuintes para o PIB Nacional, vivenciamos uma fase sensível de transição de estratégias económico-financeiras, que teve algum impacto negativo no nosso tecido industrial nos últimos meses”, destaca o PSD.

Manifestando-se “bastante preocupados com o impacto direto na economia local”, os social-democratas pedem ao ministro da Economia um “exercício de solidariedade governamental com um concelho que tanto tem contribuído para o sucesso empresarial português”.

Apelam, por isso, que o governante diligencie “o melhor apoio direto, através de criação de Linha especial de Apoio às PME`s [Pequenas e Médias Empresas] de Felgueiras”.

“Num período conturbado da saúde pública em Felgueiras, centro epidemiológico de um surto de coronavírus, o PSD Felgueiras vem solicitar, por este meio, que o Ministério da tutela da Economia, considere a aprovação imediata de medidas excecionais de apoio à indústria e ao comércio felgueirense”, reclama o PSD.

Portugal regista 30 casos confirmados de infeção, segundo o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado no domingo.

Todos os infetados, 18 homens e 12 mulheres, estão hospitalizados.

A DGS comunicou também que 447 pessoas estão sob vigilância por contactos com infetados.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte.

Foram também encerrados alguns estabelecimentos de ensino secundário e universitário no Norte, bem como duas escolas na Amadora e uma em Portimão.

Em Felgueiras e Lousada, foram encerrados ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas, além de todas as escolas.

Os residentes naqueles dois concelhos do distrito do Porto foram aconselhados a evitar deslocações desnecessárias.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 3.800 mortos.

Cerca de 110 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 62 mil recuperaram.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se o caso mais grave de epidemia fora da China, com 366 mortos e mais de 7.300 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

Para tentar travar a epidemia, o Governo de Roma colocou cerca de 16 milhões de pessoas em quarentena no Norte do país, afetando cidades como Milão, Veneza ou Parma.

ACG // JAP

Lusa/fim