Covid-19: Tâmega e Sousa pede ao Governo centros de rastreio na região

A Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM) pediu hoje ao Governo que a região seja dotada de centros de rastreio da covid-19 para pessoas referenciadas pelo Serviço Nacional de Saúde, segundo informou o agrupamento de municípios.

 

Em comunicado enviado hoje à Lusa, refere-se que se pretende “aumentar a capacidade de resposta no combate à pandemia e aliviar o afluxo de potenciais suspeitos de infeção aos hospitais”, num território com cerca de 520 mil habitantes.

O pedido daquele agrupamento de municípios ocorreu na sequência de uma reunião, realizada na quinta-feira, por videoconferência. Nos trabalhos participaram os autarcas dos 11 municípios da CIM do Tâmega e Sousa, da Câmara de Paredes (Área Metropolitana do Porto) e de representantes da Administração Regional de Saúde do Norte.

“A existência de centros de rastreio da covid-19 no Tâmega e Sousa ganha particular relevância numa altura em que assistimos a um novo fluxo milhares de pessoas oriundas, entre outros, de Espanha, França, Bélgica, Alemanha, Suíça e Andorra”, lê-se no comunicado.

A região do Tâmega e Sousa integra os municípios de Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Penafiel e Resende. O vizinho município de Paredes, da Área Metropolitana do Porto, tem o hospital de Penafiel como unidade de saúde de referência.

Informa-se, também, que a CIM está a tentar a aquisição de equipamento de proteção individual para ser disponibilizado às unidades de saúde, misericórdias e instituições privadas de solidariedade social, bombeiros e proteção civil e municípios.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infetou mais de 250 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 10.400 morreram e mais de 89.000 recuperaram.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

O boletim divulgado pela DGS assinalava 7.732 casos suspeitos até quinta-feira, dos quais 850 aguardavam resultado laboratorial.

APM//LIL

Lusa/fim