Desemprego desceu 20% em dois anos na região do Tâmega e Sousa

Entre os concelhos do Vale do Sousa com maior predominância industrial, Felgueiras continua a apresentar os melhores indicadores de emprego, com uma evolução positiva de 36,6% no período em análise

O número de desempregados nos 12 concelhos do Tâmega e Sousa diminuiu cerca de 20% desde abril de 2013, afetando menos 9.620 pessoas, revelam dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Comparados os dados de abril de 2013 com os de abril de 2015, constata-se que as pessoas inscritas passaram das 46.023, de há dois anos, para as 36.403 que constavam na data mais recente divulgada pelo IEFP.

Entre os 12 concelhos incluídos na lista consultada hoje pela Lusa, Paredes foi onde, em termos absolutos, mais diminuiu o número desempregados, com uma redução de 1.782 inscritos, seguido de Paços de Ferreira com menos 1.331 pessoas a constarem da lista oficial do IEFP. Estes dados indiciam uma recuperação do setor do mobiliário que predomina nos dois concelhos, depois de um período caracterizado pelo encerramento de dezenas de empresas e consequente aumento de pessoas sem trabalho.

Em termos percentuais, no contexto global da região, o melhor indicador ocorreu Baião, com uma redução de cerca de 43%, o que correspondeu a uma queda de 1.118 desempregados.

O município do território que apresentou a descida menos acentuada foi Resende, com uma redução de 7,4%, número que contrasta com os ganhos alcançados pelo concelho vizinho de Cinfães, que reduziu quase 16% o número de pessoas à procura de trabalho.

Entre os concelhos do Vale do Sousa com maior predominância industrial, Felgueiras continua a apresentar os melhores indicadores de emprego, com uma evolução positiva de 36,6% no período em análise. O bom momento do setor do calçado explica a tendência, segundo têm sustentado associações empresariais e sindicatos ouvidos pela Lusa.

Lousada, Paços de Ferreira e Paredes apresentaram diferenças positivas na evolução do desemprego, com ganhos superiores a 20%.

Em Penafiel, os ganhos foram menores, cerca de 17%, um pouco menos que Castelo de Paiva, onde os inscritos baixaram 19%.

Nos municípios do Baixo Tâmega, a maior redução ocorreu em Amarante, com menos 1.118 inscritos, o que correspondeu a uma diminuição de cerca de 21%. Apesar disso, Amarante continua a apresentar um número elevado de pessoas à procura de trabalho (5.110), quase o dobro de Felgueiras (3116), concelho vizinho e com população idêntica.

Por outro lado, Marco de Canaveses continua a ter o maior número de inscritos naquela sub-região do Baixo Tâmega (5.265), apesar de também ali, nos últimos dois anos, ter diminuído o desemprego, com uma descida de cerca de 16%.

Celorico de Basto continua a apresentar bons resultados, com uma descida de 32,2%, o que corresponde a menos 614 pessoas inscritas no IEFP.