Dia dos Namorados comemorado com exposições na Casa do Risco

O Município de Felgueiras vai comemorar o Dia dos Namorados com a inauguração de um ciclo expositivo, que alia a contemporaneidade da tradição e a arte do bordado artesanal.

 

O ciclo expositivo vai estar patente entre 14 e 26 de fevereiro, na Casa do Risco.

A inauguração do evento está marcada para o dia 14 de fevereiro, sexta-feira, pelas 15:00.

No domingo, dia 16, estão programados vários momentos culturais que vão dar alegria, vida e cor a um espaço preparado, exclusivamente, para esta época do ano.

Naquele dia, os convidados terão a oportunidade de usufruir do espaço da Casa do Risco, assistir a momentos culturais diversificados como música, poesia, danças orientais, danças de salão, e particular destaque para o Bailado “As Bordadeirinhas” e simultaneamente visitar os diversos espaços expositivos preparados e que tem como denominador comum a temática “Dia dos Namorados”.

 

Casa do Risco receberá o ciclo expositivo, que contempla as várias tradições e usos mais contemporâneos dos bordados manuais

Patentes na Casa do Risco vão estar exposições pedagógicas, de mesas românticas, uma de Art Decor, de bordados antigos, de fotografias, de vestidos e trajes galardoados em concursos de empreendedorismo e criatividade.

Destaque para uma exposição de lenços, “Bordados com poesia”, levada a cabo pela Direção Regional da Cultura do Norte, inaugurada na feira do livro de Guadalajara no México, com destaque para os lenços bordados em Felgueiras alusivos a poetas contemporâneos portugueses como Herberto Helder, Pedro Tamen e José Luis Peixoto.

O ciclo expositivo encerra com um workshop de bombonaria artesanal, tornando o final de tarde mais doce para todos quantos se queiram juntar à iniciativa.

 

Iniciativa que conta com o envolvimento da comunidade

Empresas, instituições, escolas e famílias juntaram-se para dar corpo ao enaltecimento de uma tradição, de um uso e um costume que é de todos, trazendo para a atualidade a arte dos bordados manuais e contemporizando-a no tempo e no espaço numa região onde se encontra o maior número de bordadeiras em Portugal Continental, que dominam com maestria mais de 200 diferentes pontos de bordar.