Direção Geral das Autarquias alerta Câmara de Vizela para a dívida

 

A Direção Geral das Autarquias Locais (DGAL) comunicou à Câmara de Vizela que devem ser acionados “os mecanismos de alerta precoce”, tendo em conta a sua situação financeira de 2016, anunciou hoje aquela autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, a Câmara de Vizela, no distrito de Braga, refere que, de acordo com a DGAL, “a dívida total do Município ultrapassou, em 31 de dezembro de 2016, a média da receita corrente líquida cobrada em 2013, 2014 e 2015 em 4.473.860 euros”.

“Não obstante a aparente saúde financeira do Município de Vizela, propalada pelo anterior executivo, a presente informação da Direção Geral das Autarquias Locais vem contrariar tais informações”, destaca-se no comunicado.

O executivo eleito em outubro do ano passado, liderado pelo independente Vítor Hugo Salgado, refere também que não foi mantida, pela anterior gestão, “uma linha de contenção e o rigor financeiro fundamental para a sustentabilidade económica do Município”.

Por outro lado, a nova gestão autárquica em Vizela refere que, a agravar aquela situação financeira, “verificou-se, ainda, um ano eleitoral pejado de excessos, que, certamente, deixará as suas marcas”.

No comunicado enviado à Lusa é ainda criticada a “ausência de medidas de contenção e gestão rigorosa e eficiente dos dinheiros públicos que visasse a continuação da redução do défice orçamental e a reorientação da despesa pública”.

A gestão de Vítor Hugo Salgado conclui que “o documento da Direção Geral das Autarquias Locais constata, de forma oficial, que a autarquia de Vizela, fruto da gestão carente de competência a que, de um modo geral, esteve sujeita nos tempos mais recentes, os resultados do caminho trilhado pelo anterior executivo no ano em apreço”.

APM // JGJ

Lusa/Fim