FUTEBOL: DIVISÃO HONRA AFP – SÉRIE 2 | Rescaldo da 1ª jornada (C/ÁUDIO)

Lusa

 

Os três dérbis regionais da 1ª jornada da Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto (AFP) – Série 2 finalizaram com triunfos das equipas visitadas.

Vila Caiz e Lousada ganharam, pela margem mínima, a Alpendurada e a Águias de Eiriz, respetivamente. Mais confortável foi a vitória do Rio de Moinhos sobre o Citânia de Sanfins.

Em Vila Caíz, a formação auri-negra bateu o Alpendurada, por 1-0. O golo do triunfo amarantino surgiu apenas nos últimos minutos do desafio.

“Foi uma vitória difícil, saborosa, valorizada pela atitude do Alpendurada, mas acho que teve tanto de difícil como de justa. Nós quisemos mais e tivemos as melhores oportunidades”, salienta Renato Coimbra.

A opinião do técnico do Vila Caíz não é partilhada por João Paulo Teixeira. O treinador do coletivo de Marco de Canaveses considera que “o empate seria o resultado mais justo”.

Apesar do desaire, João Paulo Teixeira elogiou “a grande atitude” demonstrada pelos jogadores no primeiro jogo do campeonato.

Em Lousada, a equipa local e o Águias de Eiriz defrontaram-se pela terceira vez no espaço de apenas uma semana. Os dois encontros anteriores foram para a 2ª eliminatória da Taça AFP, que acabou com o apuramento dos pacenses.

Desta vez, o Lousada levou a melhor e triunfou por 1-0. Nelson Dinis Lopes assegura que foi uma “vitória muito justa” dos rubro-negros.

“A minha equipa fez 45 minutos fantásticos, onde se aproximou muito daquilo que é pretendido, em termos de identidade para a equipa. Ao intervalo até podíamos ter dois, três golos de vantagem. Na 2ª parte, o adversário arriscou mais, teve mais iniciativa de jogo e tivemos de ser mais solidários a nível defensivo. Aquilo que o adversário fez acaba por dar mais mérito à nossa vitória”, reconhece o treinador do Lousada.

O técnico do clube de Paços de Ferreira admitiu que o Lousada na primeira parte foi melhor e “criou algumas situações de golo”, mas sublinha que, após o intervalo, o Eiriz “tomou conta do jogo”.

“Só nos faltou marcar. Tivemos um período em que podíamos ter feito o golo do empate e até da vitória, mas acusamos alguma ansiedade e cansaço, porque não é fácil fazer 3 jogos numa semana”, justifica Luís Magalhães.

Em Rio de Moinhos, os locais entraram na nova época com um triunfo robusto (3-0) sobre o Citânia de Sanfins.

“Tivemos a um nível ótimo para um primeiro jogo do campeonato. Os jogadores estiveram a um nível altíssimo. O adversário bateu-se bem, mas nós fomos categoricamente superiores em todos os níveis”, afirmou o técnico penafidelense, Mário Magalhães.

Por outro lado, o treinador do Citânia de Sanfins, Germano Pereira, explica que a derrota em Rio de Moinhos é o reflexo do “momento difícil” que o clube atravessa.

“É alteração do nosso campo, são as obras, é treinarmos aqui e ali, é enfrentar um sem número de problemas, que temos de viver com eles e que temos de ultrapassar. Mas hoje entramos claramente tarde no jogo. Se calhar não entramos na hora em que ele começou e isso fez toda a diferença. O Rio de Moinhos foi melhor e o resultado não sofre contestação”, reconhece.

Ainda da região, o Aparecida foi derrotado (1-0) em Alfena, ante o Alfenense. O Felgueiras B bateu, em casa, o Ataense (3-1).

 

Luís Miguel Nogueira