Empregabilidade dos alunos da Escola Profissional de Felgueiras é de 95%

A Escola Profissional de Felgueiras, que está a assinalar 25 anos de existência, já formou mais de 1.500 jovens e apresenta atualmente uma taxa de empregabilidade de 95%, avançou à Lusa a diretora Amélia Carvalho.

escola-profissional-de-felgueiras-7

Desde 1991, acrescentou, a escola tem apostado nas áreas de desenho de calçado, manutenção de máquinas de calçado, gestão, eletrónica, automação e computadores e multimédia, correspondendo à procura de recursos humanos qualificados por parte das empresas do concelho e da região.

escola-profissional-de-felgueiras-1

“Felgueiras tem, na verdade, a mais alta taxa de oferta desta vertente de ensino em toda a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa”, assinalou.
A “forte componente prática” dos cursos profissionais e uma elevada taxa de conclusão e de empregabilidade são as principais razões que, frisou, levam os alunos a optar por aquela escola.
A propósito, sinalizou a boa ligação que diz haver entre o estabelecimento de ensino e o tecido empresarial de Felgueiras, através da formação em contexto de trabalho dos seus alunos e respondendo a outros pedidos de colaboração técnica.

escola-profissional-de-felgueiras-5

A escola tem mais de uma centena de protocolos de estágios com empresas locais, o que permite articular as ações com o mercado de trabalho, procurando as oportunidades e respondendo às necessidades para colocação dos seus jovens.
“A sua centralidade está expressa no reconhecimento público que alunos, ex-alunos, encarregados de educação e empresas demonstram”, comentou, a propósito do reconhecimento que a escola granjeia na comunidade local, destacando-se o mundo empresarial.

Articulação com as necessidades das empresas

Amélia Carvalho referiu, por outro lado, a preocupação de os cursos profissionais estarem estruturados para dar resposta às expectativas dos formandos e dos potenciais empregadores.
“Os alunos, em contexto de trabalho, mostram um considerável grau de autonomia no desenvolvimento de tarefas da sua área técnica que não raras vezes abre caminho para o primeiro emprego”, acentuou.
Apesar das altas taxas de empregabilidade, mais de metade dos alunos que termina o 12.º ano na EPF acaba por prosseguir os seus estudos.
Para 2017, terminou a diretora, um dos grandes objetivos da EPF é concluir o sistema de qualidade.

APM // MSP

Lusa/fim