Empresários do Tâmega e Sousa satisfeitos com anúncio de descontos na A4

Lusa

O Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa (CETS) reagiu hoje “com satisfação” aos descontos nas portagens na A4, anunciados pelo Governo, considerando que só pecam por tardios.

 

“De acordo com a intenção anunciada pelo Governo, o Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa regista com satisfação as medidas propostas, as quais apenas pecam por tardias”, lê-se numa declaração escrita de Emídio Monteiro, presidente daquela organização de empresários.

Para o CETS, que reúne associações empresariais de vários concelhos daquele território atravessado pela A4 (ligação Porto-Vila Real), “a redução das portagens contribui efetivamente para uma maior coesão territorial e concorre para o objetivo de maior convergência desta região do Tâmega e Sousa com a Área Metropolitana do Porto”.

“Vemos com particular agrado a possibilidade de a anunciada descida de portagens beneficiar as empresas que carecem do transporte rodoviário para a sua operação quotidiana e que, até ao momento, viam-se oneradas com um sobrecusto dado o contexto em que atuam”, acrescenta o dirigente.

A ministra da Coesão Territorial anunciou hoje, em Macedo de Cavaleiros, descontos nas portagens de sete autoestradas a partir do terceiro trimestre do ano para os “utilizadores frequentes”.

“Vai ser posto em prática no terceiro trimestre deste ano. Estamos a falar de um desconto de quantidade para os veículos classe 1 quer classe 2”, afirmou Ana Abrunhosa, que falava à margem de uma visita no âmbito da iniciativa “Governo mais próximo”, no distrito de Bragança.

A governante disse que o modelo a aplicar “já está consensualizado entre os ministérios das Infraestruturas e Habitação, das Finanças e da Coesão Territorial”.

Ana Abrunhosa explicou que se trata de “um desconto de quantidades”, exemplificando que a “partir do oitavo dia até ao 15.º dia haverá um desconto de 20% e a partir do 16.º dia até ao final do mês será um desconto de 40%”.

“Isto é para utilizadores frequentes, isto significa um acesso universal, automático, basta ter o dispositivo eletrónico, não exige qualquer burocracia para se ter acesso”, referiu.

Até agora, acrescentou, a burocracia “impedia muitas pessoas de terem acesso aos descontos que já existiam”.

Nas autoestradas A4, A24, A28, A25, A23, A13 e A22, antigas SCUT, já eram aplicados descontos e estes foram, segundo a ministra, “harmonizados e aumentados”.

Segundo Ana Abrunhosa, estes descontos beneficiam os residentes ou os que se deslocam frequentemente às regiões, quer em termos de atividade económica ou turística.

Relativamente ao transporte de mercadorias, os descontos vão ser aumentados dos 30% para os 35% de dia e de 50% para 55% à noite.

A ministra anunciou ainda um desconto para os transportes de passageiros, que até agora não existiam e que passam a ser iguais às percentagens dos transportes de mercadorias.

APM // MSP

Lusa/fim