Estio curioso!

Finalmente chegou o bom tempo, e com ele as férias tão desejadas! Para os políticos estas serão as “últimas” férias de Verão descansadas, uma que vez que no próximo ano por esta altura as máquinas partidárias estarão em pleno funcionamento para as eleições autárquicas que deverão ser agendadas para outubro de 2017. Aliás acredito que após estas férias de Verão 2016 começarão as movimentações públicas em todos os quadrantes políticos sobre as suas principais figuras na candidatura à Câmara Municipal de Felgueiras, e num plano menos mediático à Assembleia Municipal.

Embora, tenho a opinião que no próximo mandato autárquico na Assembleia Municipal (AM) o combate político será muito intenso, determinante e de grande visibilidade pública. Aliás, em jeito de lamento, considero que muito do que se tem passado neste mandato na AM merecia uma maior exposição mediática. São reduzidos os intervenientes mas tem sido abordados na forma e no conteúdo aspetos muito relevantes.
Relativamente aos candidatos à Presidência da Câmara Municipal, nesta altura são conhecidos dois: o natural Inácio Ribeiro, e o mediático Pedro Araújo que emergiu do Primeiro MIC, e que depois de assumir a sua intenção de candidatura procura como anunciado, acordo/acordos com uma estrutura partidária que lhe permita dotar o seu projeto de uma maior sustentabilidade, e de uma maior probabilidade de sucesso!

Um dos candidatos mais aguardados é o do Partido Socialista! Aguardado com muita expectativa pela curiosidade mas também fruto do crescente desconforto/descontentamento dos felgueirenses com a gestão municipal do PSD liderado pelo Dr. Inácio Ribeiro. São muitos os que aguardam com expectativa o anúncio da estratégia e do candidato do PS à Presidência da Câmara Municipal porque desejam a mudança! Fruto da expectativa, da curiosidade, mas também da “política de caserna” que algumas forças políticas têm feito obviamente por vias não formais, têm sido comentados na praça pública vários nomes, procurando criar confusão e descrédito na solução que venha a ser apresentada! Mas isso acaba também por demonstrar a fragilidade que por exemplo o PSD sente, fruto de uma governação autárquica que está longe de agradar aos municípes felgueirenses pela inação e resolução dos problemas do munícipio, mas também pela já aparente divisão instalada no PSD/Felgueiras! Como escrevi na última crónica de opinião, existem vários motivos para a existência de divisões na estrutura concelhia do PSD, e do ponto de vista político esta está menos interventiva, menos acutilante, e também dividida! É minha opinião que o PSD/Felgueiras tem por este tempo menos “massa muscular” política fruto das ambições, divisões e dos afastamentos que foram acontecendo nos últimos anos, e isso retira e retirará força no futuro na “batalha” eleitoral autárquica ue será bem mais intensa e potencialmente menos “favas contadas” do que aquilo que ainda se estará à espera!

Contudo, até outubro/2017 continuarão os erros de gestão, os processos mal conduzidos, a falta de resolução de problemas municipais! Por este modus-operandi da atual liderança do Dr. Inácio Ribeiro é que não se estranha que a Empresa Municipal EMAFEL continue a acumular prejuízos, aumentando inclusive o ritmo (no primeiro trimestre de 2015 o prejuízo foi de 42 mil euros e uns trocos e, no primeiro trimestre de 2016 passou a mais de 60 mil euros), apresentado no final do primeiro trimestre deste ano um Passivo Corrente de mais de 685 mil euros, sendo que 513.000€ dizem respeito a financiamentos obtidos (sendo que o último foi aprovado em setembro de 2015 com os votos contra do PS)… Com a dissolução caberá à autarquia assumir estes prejuízos e os pagamentos devidos! No entretanto geriu-se erraticamente o processo de dissolução das empresas municipais determinado pela Lei, e aproveitou-se para “jobs for the boys”! Nada curioso, nada novo nesta gestão autárquica do PSD em Felgueiras!